A participação das mulheres indígenas nas Eleições de 2018

Por Bianca Taranti
Estagiária Revitalizando Culturas
Supervisão: Prof. Dr. Jaci Rocha Gonçalves.

Após os desafios enfrentados, os indígenas ainda atravessam as dificuldades instauradas pela política. Em 2018, 130 indígenas lançaram candidatura e as mulheres obtiveram uma participação expressiva. 23 mulheres indígenas concorreram as cadeiras de vice-presidente, deputada estadual e federal, além do Senado e ao Governo de Estado.

Em Santa Catarina, Kerexy Yxapyry foi a primeira candidata Guarani na disputa federal e obteve 10.252 votos. Ingrid Assis, concorreu ao governo do Estado e atingiu 9.944 votos. Dos 1.626 candidatos no geral que disputaram as eleições de 2018, somente uma mulher indígena vai ocupar a cadeira na Câmara dos Deputados.

Em 2018, foram 130 candidaturas indígenas, 50% a mais que em 2014. A última representação indígena na política na câmara foi o deputado Mário Juruna eleito em 1982 pelo PDT no Mato Grosso.

Após 31 anos sem representação indígena na Câmara dos Deputados, Joenia Wapichina foi a oitava candidata mais bem votada no Estado de Roraima com 8.491 votos. Joênia é formada em Direito pela Universidade Federal de Roraima desde 1997 e mestre pela University of Arizona nos Estados Unidos.

A Câmara de Deputados existe há 190 anos e Joenia é a segunda presença indígena a ocupar uma cadeira no plenário, sendo a primeira mulher. Estima-se que na região norte do Brasil ainda há 3,5 mil indígenas Wapichana. A candidata pretende atuar em prol dos direitos coletivos dos indígenas e pelo desenvolvimento sustentável no estado de Roraima.

COMPARTILHAR