Alunos apresentam pesquisas sobre Apice On

12 trabalhos foram apresentados por estudantes da Unisul na manhã desta quarta-feira (27) no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. O objetivo do evento, chamado de 1º Seminário Científico: Centro Materno-Infantil, foi apresentar as pesquisas sobre o Apice On desenvolvidas pelos estudantes em parceria com a instituição.

O projeto Apice On é uma iniciativa do Ministério da Saúde e propõe a qualificação da atenção e cuidado ao parto, nascimento, pós-parto, aleitamento, violência obstétrica e sexual. “Todos os anos temos, aproximadamente, 60 trabalhos realizados em parceria com o HNSC. Porém, muitas vezes, os colaboradores da instituição não têm acesso aos resultados. O seminário foi importante pois pudemos dar uma devolutiva para os funcionários e, com isso, a assistência ao paciente também irá melhorar”, ressaltou a professora da Unisul, Fabiana Trevisol.

Os trabalhos apresentados (11 dos cursos de graduação em Medicina e em Enfermagem e 1 do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Unisul) foram selecionados pela comissão científica, gerência de enfermagem e gerência acadêmica da instituição.

O Centro de Pesquisas Clínicas (CPC) do HNSC é um projeto que conta com a parceria da Unisul e completa 10 anos em 2019. O CPC integra a Rede Nacional de Pesquisas Clínicas e realiza estudos clínicos locais e multicêntricos em parceria com os demais integrantes da rede.

Apice On

O projeto Apice On – Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia é uma iniciativa do Ministério da Saúde. Propõe a qualificação nos campos de atenção/cuidado ao parto e nascimento, planejamento reprodutivo pós-parto e pós-aborto, atenção às mulheres em situações de violência sexual e de abortamento e aborto legal, em hospitais com as seguintes características: de ensino, universitários e/ou que atuam como unidade auxiliar de ensino, no âmbito da Rede Cegonha.

O propósito é ampliar o alcance de atuação dos hospitais na rede SUS e também reformular e/ou aprimorar processos de trabalho e fluxos para adequação de acesso, cobertura e qualidade do cuidado. Desse modo, traz a perspectiva de potencializar a parceria entre o Ministério da Saúde, os hospitais de ensino e as instituições formadoras vinculadas a estes serviços, visando fortalecer o papel dos diferentes atores como agentes de cooperação na área obstétrica e neonatal.