Alunos criam projeto de app para serviços farmacêuticos

Os estudantes do curso de Farmácia da Unisul, Lucas Boneli de Almeida e Samuel Guarezi Bressan, desenvolveram o projeto de um aplicativo para serviços farmacêuticos como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). De acordo com a orientadora Karina Saviatto, o app busca aproximar os serviços farmacêuticos da sociedade.

Como foco de atuação, Lucas e Samuel observaram o mercado farmacêutico da região da Associação dos Municípios da Região Lagunar (Amurel) e do Sul Catarinense. Eles constataram uma alta demanda de serviços fornecidos por profissionais da área entre a população, como aferição de pressão arterial, administração de medicamentos, orientação de autocuidado em saúde, dentre outras possibilidades.

“Assim, o app funcionaria gratuitamente e o paciente, ao baixá-lo, teria acesso a uma lista de serviços farmacêuticos para atender às próprias necessidades. E os farmacêuticos se cadastrariam disponibilizando esses serviços e precificando as suas atividades”, descreve Karina.

O plano de desenvolvimento do aplicativo, descrito pelos alunos como uma startup, ainda utilizaria a localização dos cadastrados para indicar o profissional mais próximo dos pacientes. Enquanto o solicitante indicaria o tipo de atendimento, o horário e o local que desejaria o serviço, avaliando o preço do procedimento e o farmacêutico mais adequado.

A ideia

Lucas e Samuel pensaram em desenvolver o aplicativo devido aos indicadores brasileiros de que a população do país é uma das que mais gasta tempo utilizando app em celulares e tablets no mundo.  De acordo com a pesquisa realizada pela Hootsuite e We Are Social e divulgada em 2018, o celular já é o meio pelo qual mais da metade da população mundial acessa a internet, sendo que o Brasil conta com cerca de 130 milhões de usuários ativos de mídia sociais.

“Foi com base nas tendências da área da saúde de que os serviços farmacêuticos no Brasil estão em potencial crescimento, primeiro por serem uma novidade, segundo por atenderem a uma necessidade das pessoas: cuidar de sua saúde dispondo do auxílio de um profissional qualificado”, descrevem os acadêmicos. Os estudantes aproveitaram uma potencialidade do mercado farmacêutico e o aliaram ao uso da tecnologia que está em alta entre os brasileiros.

Leia também: TCC de Farmácia aponta riscos da automedicação

COMPARTILHAR