Vamos refletir sobre nós?


Por Dr. Hércules Nunes de Araujo – Pró-Reitor de Ensino, Pesquisa, Pós-graduação, Extensão e Inovação da Unisul

Geralmente o dia do professor é lembrado com mensagens, feriado e mais alguns metafóricos. Sem dúvida, é um dia valorizado pelo que representa o professor à construção permanente de uma sociedade.

Contudo, é oportuno alimentar uma discussão sobre o nosso papel no século do imprevisível. Sentimos mudanças em nossas relações com o mundo todos os dias, alcançando velocidades fantásticas, e percebemos que ainda não saímos do século XX, enquanto nossos jovens aprendizes estão produzindo as transformações e questionando a presença da escola na vanguarda desse metamorfismo.

As palavras de ordem são empreendedorismo e inovação, que acabam sincronizando o papel das universidades às exigências de uma sociedade célere. Mas o que significam essas duas palavras para a Unisul? Quais os seus conceitos que possam induzir nós professores a apostar em mudanças em nossas próprias estruturas?

O fascínio dos desafios e as incertezas do enigmático nos conduzem a um vazio, que dificulta a conexão entre o nosso conhecimento e as duas palavrinhas de vanguarda. É indesejável que sejamos conduzidos por definição universal das duas interpretações. Precisamos, todavia, nos estimular pela vocação de empreender o conhecimento e trabalhar a inovação para que nós e os alunos alcancemos resultados que a Universidade necessariamente precisa apresentar para ser reconhecida pela sua competência.

Fugir às surradas metodologias e incorporar a tecnologia a um modelo de aula, que motive o aluno a pesquisar para aprender e inovar, e alcançar um lugar na vanguarda das transformações, são essenciais a uma respiração acadêmica renovada, que aspire, com tenacidade e destemor, as mudanças, lançando-se ao desafio de fugir à mesmice, à reprise de aulas que nos acomodam.

Ao acordarmo-nos para essa nova realidade precisamos conjugar o nosso papel de ensinar e formar cidadãos com a missão da Unisul. Se o pecado das instituições de ensino foi o de não acompanhar devidamente a velocidade das mudanças, há, contudo, o necessário reconhecimento de que não podemos nos afastar do compromisso de contribuir à humanização da sociedade.

E nessa simbiose, a Unisul pode perfeitamente, através de cada um de nós professores, mergulhar nessa modernidade, colhendo dos séculos passados apenas as lições de humanismo. Os estudantes do século XXI, os nativos digitais, precisam sentir a nossa Instituição como a base fundamental à sua inquietação no processo de aprendizagem.

A Unisul humana não pode mais desafiar a modernidade, encolhendo-se em modelos do século XX. Não! Precisamos rapidamente ingressar, com nossos conhecimentos e perspicácia, neste século, que já está começando a sua terceira década, para compreendermos os jovens que carecem de orientação para não se perderem na instantaneidade das mudanças.

Por isso, lanço a proposta de abandonarmos nossos planos de aula que não contemplem esse desafio, e partirmos para estudos e conquistas de novos patamares, onde a Unisul possa ser ainda mais diferenciada no contexto estadual como uma Instituição de qualidade.

Um forte abraço, reconhecimento e agradecimento a cada um dos professores pelo seu dia.

COMPARTILHAR