Artigo é aprovado para livro de universidade portuguesa

A estudante Gennifer Caroline Kubin Sardá, prestes a concluir o curso de Arquitetura e Urbanismo na Unisul, comemora o aceite de seu artigo sobre patrimônio industrial, tema ainda pouco aprofundado no Brasil, para publicação no livro Património Industrial Ibero Americano – recentes abordagens – Colecção do CIDEHUS – Biblioteca – Estudos & Colóquios, da Universidade de Évora, em Portugal.

O artigo explora o Conjunto Fabril Hoepcke, localizado em Florianópolis, tombado pelo município como Patrimônio Histórico e Cultural no SEPHAN. Para tal, Gennifer propôs a reabilitação do complexo que está desocupado e cuja história se integra com a da cidade entre os anos 1890 e 1970.

O patrimônio industrial Hoepcke

Foto: NDMAIS, 2018.

Em 1896, o visionário imigrante alemão Karl Hoepcke instala o Conjunto Fabril junto ao Cais Rita Maria na Praia do Arataca, as fábricas de pregos, de bordados e de gelo. Além dos armazéns e do estaleiro, a Fábrica de Pontas Rita Maria foi, provavelmente, a mais importante fábrica de pregos do país até o início da Segunda Guerra Mundial.

“Por tratar-se de edifícios que resgatam os primórdios da história do período de industrialização da cidade e que são significativos para o país, considera-se tais edifícios como Patrimônio Industrial, ou seja, avalia-se de forma diferente tais edifícios históricos”, relata.

Gennifer também pontua que o valor histórico-cultural do Conjunto Fabril Hoepcke se traduz no testemunho do fazer humano de uma época importante para o desenvolvimento industrial da região, do qual não se possa prescindir. Portanto tomou como referência os preceitos das Cartas Patrimoniais que tratam deste tema: Carta de Nizhny (2003), dos Princípios de Dublin (2011) e das Recomendações sobre a Paisagem Histórica Urbana (2011).

“Notadamente, o patrimônio industrial deve ser considerado como parte integrante do patrimônio cultural. Contudo, sua proteção legal deve considerar sua natureza específica. As fábricas e máquinas, os elementos subterrâneos e estruturas no solo, os complexos, os conjuntos de edifícios e as paisagens industriais ordenam seu resguardo e utilização vinculados ao seu passado histórico-funcional. Destaca-se que os conjuntos arquitetônicos ou parte do tecido urbano de interesse em preservar sejam alvo de atribuição de valor”.

A história por trás do projeto

Foto: Instituto Carl Hoepcke, 2019

A ideia em abordar o patrimônio industrial surgiu enquanto cursava a disciplina de Reabilitação, Restauro e Técnicas Retrospectivas quando recebeu a proposta de um projeto de reabilitação do Complexo e seu entorno.

O trabalho começou a partir de uma grande análise da história do local e pelo fato do conjunto ser tombado como Patrimônio histórico-cultural, toda a fundamentação foi feita sob à luz das Cartas Patrimoniais que tratam desse tema.

Ao finalizar o projeto, Gennifer o encaminhou a um amigo, professor em Belo Horizonte, e interessado em fábricas antigas que ao ler, lhe sugeriu escrever um artigo e mandar para o Seminário de Patrimônio Industrial em Évora, Portugal.

“Porém, eu desconhecia desse assunto. Foi quando comecei a estudar para adaptar o meu artigo ao seminário e percebi que o Conjunto Fabril Hoepcke pode ser considerado um grande exemplo de Patrimônio Industrial e precisa ser reconhecido mundialmente, pela sua representatividade para o Estado de Santa Catarina e para o Brasil”, relembra.

O artigo aceito ano passado para o Seminário de Jovens Investigadores de Patrimônio Industrial em Évora, uma das universidades mais antigas da Europa, foi a junção de pesquisas sobre o tema e exemplos de Patrimônio Industrial localizados em Portugal, Espanha e Brasil.

Conjunto Fabril Hoepcke

Foto atual do conjunto fabril Rita Maria

O complexo, atualmente desocupado, trata-se de uma área nobre e importante para a cidade de Florianópolis, que funciona como local de passagem.  A falta de atratividade tornou-a comercialmente desvalorizada. Após o aterro, transformou-se num lugar vazio e de pouco uso para a população.

A importância do Conjunto Fabril Hoepcke para o patrimônio industrial da cidade e sua relevância histórico-cultural demandam sua reconexão ao traçado urbano de Florianópolis.

Para Gennifer, estudar a história do grande empreendedor Karl Hoepcke e sua trajetória em Florianópolis, teve um significado muito especial, seu pai trabalhou na empresa durante a década de 70 e seu tio, imigrante austríaco, na década de 20.

Além disso, contribuiu para fomentar o tema pouco conhecido e também para conhecer a história da cidade em que nasceu. E ainda valorizar a dedicação da professora Jacinta, que leciona a disciplina de Patrimônio e a quem atribui o estímulo para essa pesquisa quanto oportunidade para conhecer a história do local e sua formação e, principalmente, em enaltecer o patrimônio local da forma correta através do estudo das Cartas Patrimoniais.

“Ao respeitar o conjunto de diretrizes ditadas nestas cartas, constata-se que um eventual projeto de reabilitação para o legado de Carl Hoepcke logrará êxito ao vincular-se com a realidade de um povo e de seu governo”.

Gennifer evidencia que este símbolo desgastado, mas imponente, tem seu reconhecimento como ícone histórico, econômico e social de uma elite industrial. “Além do mais, precursora e representa um dos pontos de partida da transformação do estado de Santa Catarina em um dos grandes centros industriais do Sul do Brasil”.