Professor da Unisul está em Jornada Doutoral por Portugal

Jornada Doutoral: Mario Abel Bressan Junior é coordenador dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Unisul de Tubarão. A dedicação aos alunos é dividida com o doutorado que cursa na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. O professor Mario Abel tentou a bolsa sanduiche para doutorado em 2015 na PUCRS e foi selecionado para uma das quatro vagas, mas naquele ano o Governo Federal cortou o benefício. A conquista de Mário só foi concedida nestes últimos meses de 2016, só que ele não pode mais participar devido a exigência de voltar seis meses antes de concluir a tese e o prazo final da defesa ser março de 2017.  Ele não conseguiria mais o estudo no exterior por esse caminho, por isso, criou outro percurso.

“Ao apresentar parte da tese num congresso internacional, do outro lado do oceano, e perceber que a receptividade ao tema é positiva e provoca curiosidade. O interesse vale qualquer sacrifício e cansaço”, destaca Mário.

Mário saiu do Brasil no dia 17 de outubro, chegou dia 18 em Lisboa e foi para Cabo verde no mesmo dia. De lá saiu no dia 22 e chegou em Lisboa dia 23. Amanhã chegará em Braga onde fica até dia 28, quando volta para Lisboa e permanece até dia 30 de novembro.

Jornada Doutoral: entenda o percurso

“Quando eu qualifiquei a tese em abril, apresentei a pesquisa envolvendo os telespectadores de Portugal.  Eles acharam que a proposta estava muito boa e que eu deveria insistir e tentar ir por conta própria, sem a ajuda do governo. Eu disse que pensaria e avaliaria a possibilidade. Conversei em casa e na Unisul e deu certo”, exclama o doutorando.

"Aqui sou investigador, pesquisador e estudante do Centro de Investigação em Media e Jornalismo da Universidade Nova de Lisboa.
“Aqui sou investigador, pesquisador e estudante do Centro de Investigação em Media e Jornalismo da Universidade Nova de Lisboa”, destaca Mário.

Desde junho deste ano ele investe na viagem. Juntou a participação em um Congresso na Universidade de Cabo Verde e a apresentação do trabalho no Lusocom para ir até Lisboa fazer a pesquisa científica em forma de estágio. Para que o estágio sanduíche do doutorado fosse possível, Mário precisou de uma carta de aceitação de um professor de Portugal.

O professor da Universidade de Nova Lisboa, Rui Cadman, fez a carta de aceite e a inscrição do projeto do professor da Unisul.

A proposta, mesmo em nova configuração, por pouco tempo, permite o aprendizado. Serão 40 dias, com a apresentação de um trabalho em Braga, onde se inscreveu para apresentar a metodologia da tese, uma Jornada Doutoral, como é chamada em Portugal. “A expectativa é que eu possa receber mais conhecimento lá, que possa ver outras instituições e o andamento da comunicação na Europa. Assim posso voltar um professor melhor, mais qualificado na carreira profissional. A intenção é perceber coisas lá fora e trazer para cá”, destaca Mário.

Resumo da Jornada Doutoral, apresentação ao Lusocom, Cabo Verde:
Resumo da Jornada Doutoral, apresentação em Braga, na Universidade do Minho:

“Eles gostam da minha temática, que é o olhar passado que a gente tem, principalmente na televisão. Eles acham legal estar investigando. Eu trago o olhar do passado mas também do que as pessoas falam no Twitter, que é algo muito atual”, aponta Mário.

Jornada Doutoral: diário de bordo – por Mario Abel Bressan Junior

Diário de bordo – Episódio 01 – O começo

Professor da Unisul está em Jornada Doutoral por Portugal 2A saída de Tubarão não foi fácil. Um dia após o vendaval, segunda-feira, dia 17/10. A preocupação estava espantada em meu rosto. O voo para Lisboa ocorreu tudo bem. E chegando em Cabo Verde, por volta da 1 hora da manhã, horário local, me deparei com o primeiro choque cultural. É diferente chegar em terras tão distantes e hábitos diferentes. Em Cabo Verde, além do Português, há a língua criola. Um tanto complicado de se entender. É Terra de gente simples, casas ainda a terminar, povo acolhedor. Na universidade, muito simpáticos, nos recebiam com um bom dia e sorrisos. Gente muito bonita. No congresso, aprendi muito. Conheci novos amigos. Tenho agora colegas portugueses. Além deles, claro, muitos brasileiros. Muito bom esta troca de experiência. 

Diário de bordo – Episódio 02 – Amor à primeira vista

Professor da Unisul está em Jornada Doutoral por Portugal 5A chegada à capital portuguesa foi tranquila. O fuso horário é que atrapalha, dorme-se pouco. Mas de imediato, ao passar pelos pontos turísticos, foi amor à primeira vista. É lindo ver a parte histórica e perceber nela nossas referências. Lisboa é alegre. Ao apresentar-me na Universidade Nova de Lisboa foi incrível a recepção que tive. O professor passou as leituras necessárias, orientou os primeiros passos para investigação e apresentou a equipe técnica para auxílio. Foram bem atenciosos. Também participei de um encontro de investigadores nacionais e internacionais, intitulado: “Liberdade, Censura e Democracia”, no qual discutiram a liberdade de imprensa, corrupção e democracia, e a relação da censura na TV, cinema e teatro. Interessante (e triste) ver que no Brasil e no mundo há grupos de interesse que interferem no processo de midiatização e que a corrupção beneficia interlocutores midiáticos; reflexões e projeções sobre situações importantes para a área da comunicação.

Texto: Reginaldo Osnildo / Colaboração Mario Abel Bressan Junior

COMPARTILHAR