Capacitação orienta atendimento às crianças vítimas de violência

Em 2018, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou a 2ª edição do manual focado no atendimento à menores vítimas de violência. E essa também era uma inquietação da acadêmica de Medicina da Unisul, Bruna Martins Damasceno, que, com o passar dos estágios do curso, percebeu a necessidade de saber como proceder diante da possibilidade de atender um caso desses.

Assim, a “Ação de formação: detecção e intervenção no atendimento da criança e adolescente vítima de violência” é um evento destinado a estudantes da área da saúde e a acadêmicos em geral. Ele é organizado por Bruna, que também é presidente da Liga Acadêmica de Pediatria de Tubarão (Lapet), e pela enfermeira Adriana Elias, coordenadora do Ambulatório Materno-Infantil (AMI) da Unisul. A ação será realizada no dia 26 de junho (terça-feira), às 19h, no Auditório do Bloco da Saúde, no Campus Tubarão.

Entre os palestrantes confirmados há profissionais de diversas áreas, como a pediatra Vanessa Borges Platt, que é coordenadora do Ambulatório de Violência contra a Criança de Florianópolis. Também participarão do evento a conselheira tutelar Cintia Nowasco, a psicóloga Kelly Fortunato, vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e a Promotora de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina, Iara Klock Campos.

Dados

Em Santa Catarina, mais de 10 casos de violência contra crianças e adolescente são registrados por dia. Esses dados foram divulgados neste ano pelo Diagnóstico da Realidade Social da Criança e do Adolescente. De acordo com Bruna, reconhecer as várias situações de violência faz parte da rotina dos profissionais da área de saúde. “Seja violência física, psicologia ou que prejudique a liberdade e o direito pleno de desenvolvimento da criança e do adolescente. Quando identificada a violência, o profissional de saúde é responsável pela abordagem dessas situações, portanto, devemos saber como realizar a consulta e exame físico, quando necessário, além de quais instituições acionar nesses casos”, destaca.

Evento

O objetivo da formação é desenvolver nos participantes um olhar crítico, reflexivo e treinado sobre indicadores, marcas e sinais de maus tratos contra crianças e adolescentes e refletir sobre procedimentos de proteção diante da identificação de situações de violência.

Para participar da capacitação, os interessados devem se inscrever no Diretório Central dos Estudantes (DCE) e pagar o valor de R$ 5.

COMPARTILHAR