Combustível renovável é desenvolvido por aluna de mestrado para estimular economia circular

A utilização de combustíveis fósseis é uma das causas do desequilíbrio ambiental e climático. A Engenheira Ambiental e Sanitária, Susana Costa, em seu trabalho de conclusão de curso pesquisou uma alternativa sustentável para o problema, o qual foi aceito para publicação no periódico Cellulose Chemistry and Technology. Trata-se de um combustível sólido composto por resíduos como a casca de arroz e glicerol. Após o desenvolvimento do TCC por Susana, o projeto foi continuado pela bolsista do artigo 170, Maria Julia de Assunção Ezirio, aluna da quinta fase de Engenharia Ambiental e Sanitária. Também foi apresentado no XVI Brazil MRS Meeting, em Gramado (RS), em setembro de 2017.

Agora Susana é mestranda do programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, o projeto deve ganhar novas alternativas de composição e melhoria de eficiência técnica. Desde a apresentação do TCC, até o momento em que a ideia foi retomada como defesa de mestrado, o projeto foi submetido a alterações. “A ideia inicial era realmente aproveitar os resíduos, então o primeiro projeto era com um material diferente. Enfim, eu pesquisei, fui a fundo, procurei a professora Rachel e nós pensamos na casca de arroz e em reutilizar resíduos que hoje já não usamos mais, o projeto está em evolução. O objetivo é ser mais sustentável, aproveitar resíduos e não utilizar de uma matéria prima que prejudicaria o meio ambiente”, explica Susana.

Além de aproveitar resíduos que normalmente são descartados pela agroindústria, o combustível criado pela aluna também tem maior potencial calorífico em relação a madeira. “O projeto atual teve uma modificação: além do uso da casca de vergamota, os compostos também foram desenvolvidos com a utilização de vinagre, ácido cítrico e glicerol, sendo que a composição varia”, explica Maria Julia.

A pesquisa é orientada pela professora Dra. Rachel Magnago. A Professora afirma, que além da busca por características de inovação e sustentabilidade, o projeto também possui um viés para a responsabilidade social.  A ideia é que a produção do combustível se adapte às características e potencialidades regionais, na qual for inserida, articulando-se, por exemplo, com atividades ligadas à agricultura familiar e ao agroturismo. Para assim, ser uma fonte que agregue renda às famílias locais, alinhando-se aos princípios da economia circular, que consiste no reaproveitamento dos resíduos gerados dentro da própria comunidade, sendo transformado em novos produtos em prol da mesma.

COMPARTILHAR