Pesquisas sobre sustentabilidade, das mais variadas áreas, foram recebidas pelos organizadores da Conferência Links 2015, encerrada nesta quinta-feira, 24, na Unidade Florianópolis. Desde Arquitetura, eficiência energética, energias renováveis e novas fontes de energia, até trabalhos que analisaram o arcabouço legal da sustentabilidade, água virtual, agricultura, entre outros.

Além da Unisul, promoveram o evento a University of Cambridge, Pontifícia Universidade Católica (São Paulo) e três grupos de pesquisa: Greens, 4CMR e Gipart. O professor Jean-Francois Mercure representou a Universidade de Cambridge e participou de diversas discussões ao longo da Conferência. “Na minha intervenção abordei o problema da energia e dos alimentos. Falei sobre a maneira que o mundo tem se desenvolvido e seus impactos no Brasil. A combinação da mudança climática com a situação econômica do país pode ser desastrosa”, pontua o pesquisador.

O inglês afirma que é preciso estudar o problema de sustentabilidade brasileiro e engajar os pesquisadores com a política. “Então parte da solução está no diálogo dos pesquisadores com os políticos para construir soluções”, sugere. Esta é a segunda visita de Jean-Francois ao Brasil.

Pesquisadores de todas as regiões do Brasil apresentaram suas pesquisas na Conferência. A professora do Instituto Federal de Mato Grosso, Luciana Lima, apresentou trabalho sobre a colocação de placa solar em unidades consumidoras de baixa renda. “O nosso objetivo foi avaliar como é o desempenho da geração solar conectada à rede de energia. Na cidade tem bem pouca pesquisa e agora, com a regulamentação, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) deve se envolver mais com essa compensação de energia”, contextualiza.

Um grupo de pesquisadores da Faculdade Pitágoras, de Belo Horizonte, apresentou estudo sustentável para a capitação de água de chuva em uma escola municipal de Belo Horizonte. O professor do curso de Engenharia Civil, Daniel Papino, representou o grupo na entrevista ao jornal Unisul Hoje. “Nosso projeto fez a capitação da chuva pelo telhado, que conduz por calhas até o reservatório e depois da cisterna a água é bombiada para uma outra caixa da água, de onde é distribuída para lavatórios e banheiros”, explica.

Este grupo de mineiros acompanhou a palestra do ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Benny Dembitzer, na abertura da Conferência Links, realizada na Assembleia Legislativa na terça-feira, 22. “Foi legal ver o reconhecimento dele ao programa Bolsa Família, apesar da atual política brasileira”, finalizou o professor da Faculdade Pitágoras.

O professor da Unisul, Rafael Faraco, participou de diversas atividades da Conferência. Ele afirma que a palestra do professor Benny Dembitzer foi extremamente provocativa. “Isso parece que de certa forma influenciou ainda mais a participação e o engajamento dos autores durante todo o evento. Então, o que nós estamos percebendo é o nível de discussão realmente bastante alto”, celebra.

Issa Iberahin Berechin

O mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração da Unisul, Issa Iberahin Berechin, graduado em Relações Internacionais na Unidade Florianópolis, contribuiu na organização da Conferência Links 2015. Ele ajudou o professor Baltazar Guerra, promotor do evento, no contato com os autores, no recebimento dos trabalhos acadêmicos, na organização da programação, na tradução das palestras, dentre outras ações.
Nascido em São Paulo, filho de árabes, mãe libanesa e pai sírio, Berechin pesquisa no Mestrado grandes temas relacionados à sustentabilidade. Sua proposta para a dissertação analisa como a produção familiar de biocombustíveis pode contribuir para um desenvolvimento rural mais sustentável.

O aluno da Unisul afirma defender uma agricultura menos intensiva no uso dos recursos como a água e energia. “Também mais eficiente em usar os próprios insumos da fazenda, insumos naturais para essa produção, de modo aumentar a produtividade reduzindo os números de recursos”, propõe.
Sobre a Conferência, Berechin destaca a palestra de Benny Dembitzer. Depois de elogiar tanto a experiência acadêmica quando prática do economista o aluno da Unisul falou sobre os inúmeros países da África em que Dembitzer trabalha. “Ele participa de inúmeras organizações internacionais e tem um trabalho muito interessante na área de agricultura. É uma pessoa muito inspiradora e contagiante. Então foi realmente algo que revigorou toda a comunidade cientifica de Florianópolis”, diz.

O mestrando em Administração leu a maioria dos projetos submetidos à Conferência Links 2015. Entre eles, Issa destaca o tema água virtual. “Está relacionado com a exportação de água através da agricultura. Quando nos exportamos agricultura, nós exportamos água junto. É um tema incrivelmente novo no contexto das mudanças climáticas”, explica. Ele afirma que o tema expõe a fragilidade do Brasil num cenário de mudanças climáticas. “Haja visto que uma grande parcela da nossa matriz econômica vem da agricultura”, contextualiza.

A sugestão do profissional das Relações Internacionais é estimular a comunidade acadêmica e a sociedade a cobrar medidas dos políticos. “Exigir que eles cumpram as normas internacionais”, diz.

COMPARTILHAR