Conhecimento aliado à prática garante o melhor desempenho do gestor nas organizações

Em uma área que requer raciocínio lógico, prático e efetivo, o conhecimento teórico não é o suficiente. Para lidar com gestão é preciso mais e a pró-atividade se apresenta como uma das habilidades desse profissional responsável pelas decisões de uma organização.

As universidades são fundamentais pois podem e devem capacitar o gestor para as melhores práticas, o que muitas vezes acaba por mecanizar os alunos. “A ideia das universidades abordarem o estudo das competências, significa que ela deve formar pessoas, ela tem a obrigação de formar pessoas que tenham conhecimentos, habilidades e atitudes, para ajudar o mundo a se tornar melhor e atitude para se tornar um futuro líder, uma futura pessoa que ajude a desenvolver a sociedade. Então, a universidade tem essa principal aspecto na formação desse cidadão para uma visão mais construtiva, mais ética da sociedade”, avalia o professor Leonardo Flach.

Leonardo leciona no Programa de Pós-graduação em Gestão Empresarial  e no momento também e contribui com a produção de conteúdos para o material didático do MBA Executivo em Liderança e Gestão Organizacional ofertados na modalidade a distância da Unisul e possui um currículo extenso, com experiências dentro e fora do Brasil, além da fluência em vários idiomas.

A equipe de reportagem do Unisul Hoje conversou com o professor Leonardo para saber mais sobre esse universo que compreende a gestão e a importância desse profissional nas organizações e interação com os colaboradores para o sucesso dos negócios.

O MBA é uma especialização muito procurada no mercado de trabalho. Na Unisul, o aluno vai além das aulas teóricas e pratica essa modalidade em seu cotidiano. “O estudante aprende muitos métodos de teorias que tem sido recentemente utilizadas e principalmente, tem sido aplicada por diversas empresas, também várias ferramentas de aprendizagem que podem ser utilizadas para desenvolvimento de pessoas e o aluno de MBA tem essa possibilidade de aprender na pratica”, garante o Professor.

Já o gestor tem o papel muito importante dentro das organizações e cabe a ele conhecer todas as funções dentro das instituições e os melhores caminhos a tomar. “O gestor precisa conhecer todas as possibilidades, todas as pessoas muito bem e precisa lidar bem para que todo mundo trabalhe de forma sinérgica para estar alinhada naquele objetivo.  Ele precisa ser um maestro que lidera todo grupo, ao mesmo tempo tem as competências importantes para que o grupo sinta aquele líder como uma pessoa emblemática que inspire todos”, aponta Leonardo.

Ao estudar sobre determinado assunto, há a necessidade de aplicar métodos, quantitativos ou qualitativos e isto dependerá do enfoque a ser aprofundado, de acordo com Leandro, que possui publicações em várias áreas e diferentes métodos aplicados. “Já utilizei métodos qualitativos, como a etnografia, que é uma ideia de a pessoa buscar o conhecimento de uma forma bem aprofundada. Também, utilizei métodos quantitativos para analisar um grande número de dados. A aplicação do método depende muito da questão de pesquisa que vai ser utilizada, não existe um método melhor do que o outro, não existe um enfoque que seja melhor do que outro”, explica.

Nesse momento de crise que o Brasil vivencia, o Professor tem uma visão muito positiva e acredita que para vencer diante das dificuldades é necessário repensar e realizar melhorias no sistema atual. “Vejo que o país tem muito a crescer depois dessa crise, ao invés de pensar de forma pessimista, penso que o país está entrando em uma nova fase de crescimento, eu vejo isso como muito bom, talvez demore um pouco ainda, mas vai passar como toda crise passa. Acho que as soluções estão se ajustando, umas das soluções seria a mais a contabilidade de transparência nos portais, não só por parte do governo, mas também os portais das diversas entidades públicas”, reflete.

A experiência em intercâmbios nas universidades de Harvard e Massachusetts Institute of Technology, foram fundamentais para troca de conhecimento e Leonardo considera que pode ser um diferencial para a carreira. “Eu considero o intercambio fundamental, é um mecanismo de aprendizagem, ele traz conhecimentos de aprendizagem na pratica, a como entender outras culturas, a forma de como vemos o mundo, passamos a ver o mundo de uma outra forma. Também, amplia mais as nossa ideias, surge mais ideias, conhecemos muito mais gente. Eu recomendaria para todo mundo que tivesse oportunidade de fazer o intercambio”, finaliza.

As inscrições para os cursos de especialização da UnisulVirtual encerrarão no dia 11 de setembro. Para conhecer os cursos e programas, clique aqui.

 

 

 

 

COMPARTILHAR