Crescimento de energias renováveis traz novo potencial para o Brasil

O crescimento no setor das tecnologias contribuiu com o crescimento de muitas áreas, como por exemplo, a engenharia elétrica. No Brasil, um dos fatores responsáveis pelo aquecimento da área são os investimentos em energia renovável que consequentemente geram mais oportunidades aos profissionais com conhecimentos em eletrônica e eletricidade.

Mais do que desenvolver projetos, o engenheiro eletrecista mantém a infraestrutura referente à eletricidade em funcionamento. O professor Anderson André Soares, coordenador do curso de Engenharia Elétrica da Unidade Pedra Branca, conta que os engenheiros eletricistas também aplicam tecnologias que permitem reduzir o consumo de energias, por serem mais eficientes. “Como exemplo claro, temos a iluminação. Os principais sistemas de iluminação doméstica eram baseados em iluminação incandescente, que começou a ser substituída por fluorescente e, depois por fluorescentes compactas. Só neste exemplo, percebeu-se uma redução de aproximadamente dez vezes no consumo de energia, para a mesma quantidade de luz. Atualmente, a iluminação a LED é ainda mais eficiente que a fluorescente e tudo isso está diretamente ligado à engenharia elétrica”.

Dentre as fontes de energia renováveis no Brasil, pode-se destacar as próprias hidrelétricas que são amplamente exploradas no Brasil. “Existem diversos tipos de fontes de energia renováveis. Entretanto, a evolução da tecnologia e a redução de custos tem feito com que muitas pessoas e empresas invistam em energia solar fotovoltaica e eólica. No Brasil, percebemos uma grande expansão nas duas áreas. Cada vez mais casas, industrias, comércio e investidores estão apostando nestas soluções, que são estudadas no curso de Engenharia Elétrica”, explica o professor Anderson.

Embora ainda no Brasil estas fontes representem um custo relativamente alto, é considerado privilegiado neste sentido pela posição geográfica que garante ampla disponibilidade de fontes renováveis, como a hídrica, fonte limpa que hoje responde por 80% da capacidade de geração de energia elétrica no país.

E justamente por ser a engenharia elétrica responsável por diversas medidas e produtos capazes de contribuir com a redução do consumo pelos próximos anos, a Unisul estende a oferta do curso também para o centro de Florianópolis.

Segundo o professor Anderson, dos estudantes graduados no curso atuam em empresas da área e até mesmo comandam o próprio negócio. “Tanto os alunos quanto os egressos, ou seja, aqueles já formados, em função da formação recebida são absorvidos em empresas de diversos setores. Alguns vão para o setor público seguindo carreira na Celesc, Tractebel, entre outros. Porém, grande parte atua no setor privado. Quando o estudante segue aqui pela região, os maiores absorvedores de mão de obra são a Digitro, Intelbras, Vivo, Khomp, Alcatel, Engie Energia e Engie Solar”, finaliza.

Engenharia é uma das profissões em alta no futuro

Entre áreas de atuação que a engenharia dispõe, a geração de energia limpa se mostra como uma forte tendência. Além desta, se destaca a construção civil e tecnológica, segundo o estudo divulgado no Guia Salarial 2017 da consultoria Robert Half.

A pesquisa aponta a engenharia entre as oito profissões com mais oportunidades de contratação no futuro. Para chegar ao resultado, mais de 100 diretores de recursos humanos foram entrevistados.

O estudo também considerou a contribuição da engenharia para o conhecimento humano por meio das grandes obras da humanidade como: os aquedutos romanos, as pirâmides do Egito, Parthenon, entre outras construídas na atualidade.

Curso de Engenharia Elétrica da Unisul

Após graduado, o engenheiro pode atuar em inúmeros campos da Engenharia Elétrica, como Telecomunicações, Eletrotécnica, Energia e Computação. Para alcançar tal abrangência de formação, o projeto pedagógico do curso se mantem atualizado e focado em tecnologias emergentes. Com aulas no Campus Tubarão e Grande Florianópolis, a Unisul passa a ofertar também, o curso de Engenharia Elétrica na Unidade de FlorianópolisMais informações sobre o curso no site da Unisul.

COMPARTILHAR