Depressão e ansiedade agravam fibromialgia

A mestranda Patrícia Junges Frantz defendeu a dissertação intitulada “Impacto da fibromialgia e fatores associados em uma população do sul do Brasil”, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCS) da Unisul. A pesquisa teve como objetivo descrever o perfil de mulheres com fibromialgia e identificar fatores que provocassem um maior ou menor impacto da doença na qualidade de vida das pacientes.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é uma das principais causas de dor crônica e está associada à incapacidade e uso recorrente dos sistemas de saúde. A compreensão dos fatores que aumentam ou diminuem o impacto da doença de forma global, assim como na funcionalidade e nos vários sintomas da síndrome, podem fornecer uma valiosa ferramenta na condução do processo terapêutico.

Depressão e ansiedade agravam a doença

Os resultados do estudo apontaram que a presença de sintomas ansiosos e depressivos está fortemente associada à piora funcional e clínica. Desta forma, há indícios de que uma atenção focada nestes sintomas, seja em uma abordagem farmacológica ou psicoterápica, poderia beneficiar os pacientes e melhorar a sua qualidade de vida.

A dissertação foi orientada pela professora doutora Aline Daiane Schlindwein, na linha de pesquisa de “Investigação de agravos crônicos à saúde”. Participaram da banca os professores doutores Fabrício Souza Neves, reumatologista e vice-diretor do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Ivânio Alves Pereira, docente da graduação em medicina da UFSC e UNISUL. Como avalidor interno, participou o professor doutor Daniel Fernandes Martins, fisioterapeuta, docente da Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde.

COMPARTILHAR