Dezembro Laranja: prevenção do câncer da pele em evidência

O mês de dezembro é marcado pela campanha Dezembro Laranja, alusiva a Prevenção do Câncer da Pele. A iniciativa é da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos da doença no Brasil. Todos os anos, o INCA registra cerca de 180 mil novos casos. O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são muito altos.

Segundo o Ministério da Saúde há algumas formas que podem ajudar a prevenir o câncer da pele:

  • Evitar a exposição solar, principalmente durante os horários de pico (10h às 16h);
  • Usar roupas que protegem o corpo (calças compridas, blusas de mangas compridas, etc.);
  • Crianças e adolescentes devem evitar superexposição ao sol para reduzir o risco de melanoma na fase adulta
  • Usar óculos com filtro de proteção solar
  • Habituar-se a buscar sombras durante descolamentos ou permanência em áreas ensolaradas;
  • Usar protetor solar com fator de proteção solar (FPS) igual ou superior a 15;
  • Usar chapéu de abas largas.

Conheça o curso de Medicina

Segundo a dermatologista e professora da Unisul, Mariane Fissmer, a pessoa precisa ficar atenta ao próprio corpo. “É necessário observar uma modificação da lesão que ela tinha e que mudou ou que evoluiu, ou se surgiu uma nova. Esses indicativos são para alertar a pessoa a procurar um atendimento especializado”, relata.

Tipos de câncer:

  • Carcinoma basocelular (CBC): o mais prevalente dentre todos os tipos. Tem baixa letalidade e pode ser curado em caso de detecção precoce. Os CBCs surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas.
  • Carcinoma espinocelular (CEC):  segundo mais prevalente dentre todos os tipos de câncer. Mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc. O CEC é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.
  • Melanoma: tipo menos frequente dentre todos os cânceres da pele, o melanoma tem o pior prognóstico e o mais alto índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença.

A SBD indica a Regra do ABCDE (assimetria, borda, cor, dimensão e evolução) para reconhecer as manifestações dos três tipos de câncer da pele: CBC, CEC e melanoma. Mas, em caso de sinais suspeitos, é recomendado sempre que se procure um dermatologista. Nenhum exame caseiro substitui a consulta e a avaliação médica.

Leia também: Avaliação gratuita para prevenção do câncer da pele acontece sábado (1º)

COMPARTILHAR