Dia do Gastrônomo: o artesão alimentar

A arte de cozinhar exige muito conhecimento e dedicação. Quem se desafia na profissão da gastronomia tem por prazer produzir pratos que vão além de alimentação, que trazem beleza e marcam momentos de nossas vidas. Os bons sabores são resultado do trabalho artesanal feito por profissionais dedicados em concentrar sempre o melhor em cada prato. Para esses artesãos alimentares dedica-se o dia 10 de maio, conhecido como Dia do Gastrônomo.

Kátia Ramires já é formada há, pelo menos, 15 anos em Gastronomia pela Unisul. Ela é da primeira turma do curso da unidade Pedra Branca. Atualmente, é professora na Universidade e explica que sua paixão pela área surgiu pela vontade de comer bem. “A relação com a gastronomia surgiu por uma paixão alimentar. E eu sentia dificuldade de encontrar aquilo que eu gostava de comer. Então, comecei a cozinhar e depois decidi fazer Gastronomia. Eu dei sorte, a paixão por cozinhar continua até hoje”, relata a gastrônoma.

Desafios

“Hoje, conseguir aliar uma boa gastronomia com os ingredientes e insumos locais, com baixo custo se torna algo desafiador para os chefs”, afirma Kátia. Isso acontece, de acordo com ela, porque muitos ingredientes usados em pratos tradicionais são caro. Assim, tem-se intensificado um ramo conhecido por cozinha autoral, que adapta receitas tradicionais e cria novas a partir de técnicas já conhecidas, mas com ingredientes mais acessíveis e baratos.

Oportunidades

Além da cozinha autoral, outra ramificação da gastronomia que tem ganhado espaço é a funcional. A gastronomia funcional trabalha a preparação de alimentos orientada por nutricionistas, ajudando as pessoas que querem cuidar da saúde por meio de uma alimentação mais equilibrada, porém saborosa. “Antes, quando alguém falava em fazer regime ou reeducação alimentar se pensava em uma comida ruim, sem graça e sem tempero. E a gastronomia se alia com a nutrição para mudar esse estereótipo da comida saudável, criando pratos mais interessantes para esse ramo, sendo muito saborosos e que em nada lembram essas características ruins que as pessoas pensavam sobre esse tipo de comida”, destaca Kátia.

Futuro

A previsão é que o mercado de produtos saudáveis cresça 4,4% até 2021 no Brasil.  E a elaboração e comércio de marmitas com alimentos funcionais e restaurantes que seguem essa tendência de atuação são importantes áreas de atuação para os futuros profissionais da gastronomia. Isso permite que as pessoas mantenham suas dietas sem precisar se preocupar em cozinhar. Outro segmento que tem ganhado espaço no mercado é o de comida vegana e vegetariana.

“O que eu vejo é que nesses pequenos empreendimentos os alunos podem começar fazendo essas marmitas e pequenos eventos. Assim eles já começam a empreender, o que acaba se tornando inevitável no ramo da gastronomia. É uma oportunidade de colocar toda a sua criatividade em prática, criando coisas que as pessoas buscam consumir”, finaliza Kátia.

COMPARTILHAR