Dia do Índio para refletir sobre preservação e respeito à cultura

A data de hoje (19), serve para levantar as questões acerca da importância da preservação dos povos indígenas, de suas terras e principalmente, de respeito à sua cultura.

Desde a chegada dos portugueses no Brasil, os índios se deparam com o descaso. Muitos destes povos perderam suas terras e isto ainda acontece por aqui já que sofrem com a constante exploração da mineração e recursos naturais.

O grupo Revitalizando Culturas integra o núcleo de pesquisa da Unisul e há 18 anos contribui com ações de reparação nas aldeias em Santa Catarina, com grande destaque à comunidade na região do Morro dos Cavalos, na grande Florianópolis.

Coordenado pelo Professor Jaci Rocha Gonçalves, alunos e professores da universidade promovem não só a troca de culturas, mas principalmente de conhecimento com um povo tão sábio e sensível, que tanto tem a nos ensinar. Este trabalho destaca a Unisul como aliada à comunidade Guarani. “Ao longo destes anos colhemos muitos resultados como a publicação de obras produzidas pelos Guaranis em que falam por eles mesmos. Criamos grupos de estudos na comunidade prepará-los para o ENEM (Exame Nacional dos Estudantes) e auxiliamos no processo de serem a primeira comunidade juridicamente reconhecida no país”, disse Jaci.

O Professor finaliza ao destacar o que tanto temos a aprender com os povos indígenas, com a solidariedade e respeito, pois o Brasil está num momento de reparação, de redescobrimento. “Devemos nos deixar pintar por eles, pintar a nossa alma com amor à mãe terra e então seremos bons cuidadores do nosso chão. Então tudo o que fizermos de melhor, de mais solidário com eles, é apenas uma migalha perto destes 500 anos de extermínio. Cuidar dos animais como eles cuidam. Tudo o que eles fazem passa por um ritual de permissão. Ao cortar uma árvore, ele observa toda uma fala da natureza. A lua tem que ser minguante para que aquela árvore esteja sem água e aí fazer o rito de permissão. Pede para que a árvore venha servir as vidas humanas. Que a gente comemore a possibilidade de voltar a ser aluno. Correr atrás de suas sabedorias”.

Para saber mais sobre o grupo Revitalizando Culturas, clique aqui.

 

 

COMPARTILHAR