Dissertação relacionou hipotálamo ao acúmulo de gordura visceral

A aluna do Mestrado em Ciências da Saúde do Campus Tubarão, Rosiane de Bona Schraiber, formada em Farmácia, defendeu na última sexta-feira, 24, sua dissertação. Sob o título ‘Efeito de obesidade sobre parâmetros inflamatórios e bioquímicos no hipotálamo de camundongos’, ela comprovou a obesidade gerou inflamação, estresse oxidativo e disfunção mitocondrial no hipotálamo, estrutura chave no controle alimentar.

A obesidade é uma doença crônica, cuja principal característica é o acúmulo de gordura corporal. Dados recentes retratados na pesquisa de Rosiane apontam que o percentual de indivíduos obesos ou com sobrepeso é crescente. “Bem como o índice de morbidade e mortalidade associado a essa doença. O que compromete a qualidade de vida e longevidade da população”, contextualiza a mestranda.

O estudo teve como objetivo avaliar parâmetros inflamatórios, de estresse oxidativo e de metabolismo energético no hipotálamo de camundongos induzidos a um modelo animal de obesidade.

Ao fim da pesquisa, pôde ser comprovado que a obesidade cursou com inflamação, estresse oxidativo e disfunção mitocondrial no hipotálamo, estrutura chave no controle alimentar. “Sugere-se que a integração entre os fatores neuroinflamatórios e neuroquímicos possa ter comprometido a integridade celular do hipotálamo, levando a perda do controle alimentar e contribuindo para o contínuo acúmulo de gordura corporal”, concluiu. No entanto, a aluna afirma que mais estudos são necessários para melhor compreender os danos causados no hipotálamo devido ao acúmulo de gordura visceral.

Rosiane foi aprovada por banca composta por:
–  Professora orientadora, doutora Gislaine Tezza Rezin
– Avaliador interno, doutor Luiz Alberto Kanis
– Avaliador externo, doutora Éria Cardoso

COMPARTILHAR