A conexão com o universo do Direito

A zona de conforto não faz parte da vida de Ana Carolina Vieira Pacheco, que fez do Direito a sua profissão e encarou todos os desafios, inclusive de morar fora do País para se especializar.

O Direito não foi a primeira graduação de Ana Carolina que tem como primeira formação, a fonoaudiologia, área que atuou por nove anos. Porém, o desejo em voltar a estudar falava mais alto e foi a convivência com o marido que também é advogado, que a levou para o novo curso.

“Trabalhava com disfagia neurogênica e mecânica, em fonoaudiologia hospitalar – UTI e ambulatorial e por querer voltar a estudar queria algo totalmente diferente do que fazia. Sou casada com um advogado e professor de Direito Tributário e o fato de ele ser super dedicado e empolgado com o Direito, me influenciou. Resolvi então cursar Direito, me identifiquei com o mundo jurídico e suas peculiaridades desde o início”.

Ana Carolina começou no Curso aos 31 anos, trabalhava o dia inteiro e estudava a noite. “A época de faculdade foi uma mistura de compromisso e satisfação. Minha turma era formada, essencialmente, por pessoas com a idade próxima da minha, que trabalhavam o dia todo e por isso, havia um nível de dedicação e foco que contagiava. Me ajudaram muito”.

A cada fase se identificava ainda mais com o Direito, pelo modo em que a área está presente no cotidiano das pessoas, principalmente no direito penal pelas relações de violência doméstica.

“Período por período, aprendi que o Direito está em tudo, em coisas que nem pensamos no cotidiano. Era muito legal e estimulante, tanto que não vi os cinco anos passarem. Me diziam que Direito Penal é a primeira paixão de um estudante de Direito e que depois isto mudaria. Nunca mudou. Amava as aulas de Penal e Processo Penal, minha monografia foi sobre a Despenalização do Aborto e Saúde Pública no Brasil e nunca tive dúvidas que continuaria nessa área de atuação e estudos depois de formada”.

Após concluir o Curso, Ana Carolina decidiu se especializar, só que dessa vez, fora do Brasil. E então foi para Portugal para cursar o mestrado em Direito Penal de Ciências Criminais

“Decidi pelo mestrado pela Universidade de Lisboa dois anos depois de formada. A possibilidade de aprender o Direito Penal de outro país, quais questões culturais e políticas influenciam as decisões em Europeias e ter contato com colegas de toda parte do mundo foi uma experiência incrível por vários pontos vista. Morar fora do Brasil, fora da zona de conforto, ser exigido de uma forma diferente no momento das avaliações e seminários e ter que se adaptar rapidamente com diferentes pontos de vista foi desafiador e prazeroso. Recomendo muito esta experiência”.

Ana Carolina é mais um exemplo entre tantos egressos da Unisul que buscam novas oportunidades, a satisfação na vida pessoal e profissional. Atualmente é assessora do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

COMPARTILHAR