Empreendedorismo feminino em destaque

Empreender é algo que está se tornando cada vez mais comum na vida das pessoas. Esse foi o caso da egressa do curso de Direito, Heloisa Amante. Hoje, morando em Florianópolis, ela é proprietária de um escritório de advocacia e conta com outras duas parceiras. Porém, para chegar nesse patamar, ela precisou superar barreiras, desafios e contou com o apoio de outras mulheres.

Formada em 2009 na Unisul Tubarão, Heloisa começou a trabalhar no Ministério Público em Florianópolis. Até que em 2012, disposta a procurar novos desafios, ela se lançou no mercado com o sonho de advogar. A maior dificuldade foi a falta de contatos na capital catarinense. “Entreguei currículo em vários lugares. Até que uma advogada acreditou em mim e no meu potencial e me deu a oportunidade. Esse foi o meu primeiro passo. Eu tinha poucos recursos para iniciar, então foi um grande aprendizado. Precisei dar a cara a tapa, romper barreiras pessoais e me desafiar”, conta Heloisa.

Com foco no Direito Empresarial, a advogada começou a procurar outras pessoas para trabalharem junto com ela. Heloisa conseguiu profissionalizar o empreendimento e fazê-lo crescer e hoje o escritório conta com outras duas advogadas.

Empreendedorismo feminino

A advogada conta que o empreendedorismo está no sangue dela: os pais são empresários e ela sempre gostou de desafios constantes. Por conta disso é que ela aceitou o convite para fazer parte do Núcleo da Mulher Empresária da Associação Empresarial de Florianópolis (ACIF). “Ver mulheres com garra e com vontade de fazer acontecer me motivou muito. Participar desse projeto ajudou muito no meu crescimento profissional, do escritório e fez meu negócio prosperar. Os micro e pequenos negócios são um reflexo da energia do próprio empreendedor, então estar em um ambiente em que todas querem o bem uma da outra foi essencial”, relata.

Hoje, Heloisa é vice-presidente da ACIF Mulher e fundou o Núcleo de Advocacia, entidade que promove capacitações, buscando melhorar o setor dos advogados na capital.

A força da mulher

Assim como ela foi ajudada por uma pessoa que confiou em seu trabalho, Heloisa acredita é dessa forma que outras mulheres terão sucesso com seus empreendimentos. “Não faz muitos anos que a mulher entrou, efetivamente, no mercado de trabalho. Mas a mulher já é empreendedora por natureza, o que falta é a profissionalização. Nós colocamos nosso sangue no negócio. Então, primeiramente, temos que acreditar em nosso próprio potencial, depois procurar parceiros e assim conquistaremos o nosso espaço”, finaliza.

COMPARTILHAR