Empreender: quando o hobby se torna negócio

Rafael Amante, formado em Administração pela Unisul, já estava aplicando seus conhecimentos na empresa da família, mas foi impulsionado por sua inquietação e espírito de inovação, a investir em uma atividade que, até então, se resumia ao hobby: a produção de cerveja artesanal. Há nove anos, ele começou a produzir a bebida em casa e viu o interesse de empreender surgir por indicação de amigos. Com o conhecimento de gestão e uma visão do mercado em expansão, o profissional apostou na criação da marca Amante Bier, em 2015, como uma forma de unir o útil ao agradável, transformando em renda uma atividade que começou como lazer.

A cervejaria de Rafael não possui fábrica própria, no momento, ele terceiriza a produção das cervejas, mantendo a receita e a marca registrada. A Amante Bier é uma nano cervejaria de atuação local da cidade de Tubarão e região. O profissional destaca que os conhecimentos adquiridos na Universidade possibilitaram que menos erros fossem cometidos ao decidir abrir seu próprio negócio. “Posso afirmar que seria típico de um empreendedor ter uma visão de negócio em tudo que faz”, acrescenta.

Embora a produção da cervejaria de Rafael seja de 6 mil litros por ano, ele participa de uma área que está em constante crescimento e evolução no Brasil que é o mercado cervejeiro. Em 2016, o setor movimentou cerca de R$ 74 bilhões e foi responsável por 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.  Estima-se que hoje esse valor seja ainda mais representativo com o crescimento do número de cervejarias artesanais.

Cerveja Artesanal

A produção artesanal de cervejas tem se multiplicado em todo o Brasil. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o número de empresa do ramo quase quadruplicou nos últimos 10 anos no país. Enquanto em 2009 existiam 255 indústrias da área ativas, no final de maio deste ano o órgão registrou a cervejaria de número mil. Esses dados foram divulgados recentemente pela Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva) e indicam um crescimento de 292,1% do setor

Em 2018, o Brasil foi o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, fabricando 14,1 bilhões de litros da bebida por mês. Segundo a Abracerva, as cervejarias artesanais independentes representaram cerca de 2,6% da produção nacional. No mesmo ano, Santa Catarina ocupava o quarto lugar no ranking nacional em número de cervejarias, contando com 105 estabelecimentos cadastrados.

Essa realidade inspirou o Sebrae a realizar um estudo sobre o setor, que revelou um alto nível de escolaridade dos produtores da bebida. Quase metade dos pesquisados, 49,25%, já realizou curso de tecnologia e/ou produção cervejeira, enquanto 58,21% dos entrevistados informaram já terem realizado cursos de pós-graduação e/ou mestrado. Outra questão observada foi a da localização geográfica, a maioria dos participantes, 10,45%, eram de cervejarias da cidade de Blumenau. Em seguida, apareciam as cidades de Florianópolis, Tubarão e Joinville, cada uma com 7,46% dos entrevistados.

COMPARTILHAR