Enfermagem e psicologia realizam ação contra suicídio

O câncer, a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) há duas ou três décadas eram rodeadas de tabus e viam o número de suas vítimas aumentando a olhos nus. Um problema de saúde pública que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas é o suicídio. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.

A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário a pessoa buscar ajuda e atenção de quem está à sua volta. E o projeto “Amigos da Saúde Mental” mantido pelos cursos de enfermagem e psicologia da Unisul, campus Tubarão, e tem o objetivo chamar atenção e simbolizar o compromisso com a vida.

Nesse setembro amarelo os cursos realizaram uma ação voltada para a prevenção ao suicídio. Nos dias 11 e 12 de setembro, no bloco pedagógico, aconteceu uma feira com distribuição de panfletos sobre o tema.

“O assunto é importante sempre, mas no mês de setembro devemos falar, discutir e promover ainda mais, tanto nas escolas formadoras, quanto nas comunidades, que proporcione espaço para debates sobre suicídio, como sendo uma grande preocupação para a saúde pública”, conta a coordenadora de enfermagem, Liete Francisco Marcelino.

COMPARTILHAR