As contribuições da engenharia química para a sociedade

Muita gente ainda desconhece, mas a engenharia química está presente em diversos produtos que são consumidos pela sociedade como plásticos, pães, esmaltes, remédios, entre tantos outros. A profissão surgiu graças ao cientista Alferd Nobel, que ao combinar as práticas da engenharia com as teorias da química, descobriu a dinamite, há mais de 100 anos.

Com o invento, Nobel, revolucionou não só a engenharia civil que muito utiliza esta ferramenta, como também, a química, que passou a desenvolver novos processos industriais. E essa junção, deu origem à Engenharia Química, que tem o propósito de transformar a matéria prima no produto final.

 As principais descobertas pela engenharia química

Uma pesquisa do site Guia de Carreiras elencou as dez grandes descobertas muito acessíveis e comuns no cotidiano e que muitas pessoas podem não se dar conta, mas são muito utilizadas na era moderna como:

1) Plástico: por estar presente em praticamente em todos os lugares, são considerados a maior contribuição da engenharia química à modernidade. E a partir da enorme demanda, a fabricação do produto se tornou mais barata.

2) Fertilizantes: conhecidos como adubos, muito usados para que as terras se tornem mais produtivas. Nas eras moderna e industrial, para que a terra recuperasse a fertilidade, era preciso descansar e com esta descoberta, é possível produzir alimentos sem este grande intervalo de tempo. Além de baratear o custo da produção, os alimentos se tornaram mais acessíveis e consequentemente, refletiu no crescimento da população humana e aumentou qualidade de vida.

3) Iótopos Radioativos: ricos em propriedades, embora perigosas, servem como base para que os combustíveis sejam fabricados pelas usinas nucleares, responsável por quase 25% da geração de energia no mundo atual. A indústria médica os utilizam nas máquinas de diagnósticos e os arqueólogos, para identificar a idade de ossadas e artefatos antigos.

4) Fibras Artificiais: esta descoberta barateou o custo de produção das roupas, além de torná-las mais confortáveis. Também são muito utilizados em artefatos como redes de pesca, coletes a prova de balas e fabricação de fibras duras, na fabricação de veículos leves pela fibra de carbono e em diversas peças mecânicas. No século XIX, as vestimentas eram produzidas com fibras naturais, o algodão e materiais de couro.

5) Produtos Médicos e Biomédicos: presente nos protótipos que recriam a vida em forma de plástico, como o coração artificial. Na biomedicina, com a criação de produtos importantes como as microcápsulas que ao serem introduzidas no corpo liberam medicamentos lentamente. Nos implantes e próteses que podem substituir ossos e permitem que várias pessoas recuperem movimentos, como voltar a andar.

6) Quimioterápicos e antibióticos: neste segmento, a engenharia química contribui ao combater doenças como o câncer com o desenvolvimento de drogas quimioterápicas cada vez mais eficientes. Os remédios podem ser usados na prevenção e até mesmo, auxiliam a exterminar os tumores por agir dentro do organismo em uma espécie de caça da célula defeituosa. Mesmo com efeitos colaterais e atacar células saudáveis, por meio dos quimioterápicos, alguns casos têm aumento das chances de cura e podem chegar a praticamente 100%, com a evolução deste tipo de produção. Já os antibióticos, fundamentais à saúde pública, combatem bactérias, infecções e doenças, entre elas a tuberculose, que atualmente se tornou fácil de ser tratada.

7) Gases Puros e gases Liquefeitos: Os métodos mais avançados de refrigeração, proporcionou que novos gases pudessem ser obtidos em suas formas puras. Por exemplo, o oxigênio puro, usado em hospitais, trata casos com dificuldades de respiração e até mesmo na fabricação de aço. O Nitrogênio puro pode ser usado na refrigeração de alimentos e produtos biológicos, como os óvulos e espermatozoides. Os gases liquefeitos permitem o transporte de grandes quantidades de gás combustível em barcos e caminhões.

8) Catalisadores: segundo o químico Berlizius, são “substâncias que aceleram as reações químicas sem serem consumidos” e são usados pela indústria para diminuir a emissão de poluentes nos carros e resíduos, na fabricação de queijo, vinho e pão. Uma curiosidade, no embora descobertos há vários séculos, só passaram a ser entendidos pela engenharia química em 1894.

9) Derivados do petróleo: essencial na sociedade, durante muito tempo foi considerado um óleo inútil até que a engenharia química passou a processá-lo e atualmente é muito usado principalmente nos transportes. O petróleo também serve para fabricar produtos nas refinarias e seus derivados estão presentes desde a gasolina ao asfalto que cobre as ruas.

10) Borracha sintética: embora tenha os mesmos atributos do látex, a borracha natural, a borracha sintética foi desenvolvida após a Segunda Guerra Mundial e está presente na produção de pneus.

Conheça o Curso de Engenharia Química da Unisul

Com aulas nos campi de Tubarão e Grande Florianópolis, os conteúdos são aplicados para que o estudante entenda as operações físicas, químicas e bioquímicas. O Curso diespõe de uma equipe de professores altamente qualificados e também, laboratórios didáticos e de pesquisa bem equipados.

Atuação do engenheiro químico

O engenheiro químico pode atuar áreas como: petróleo e petroquímica; indústria cerâmica, de plástico, metalúrgica, de couro, têxtil, carboquímica, biocombustíveis, de alimentos; tratamento de águas e efluentes líquidos e gasosos; laboratórios industriais e de pesquisa; termelétricas; projetos e consultoria técnica; modelagem, simulação, otimização e controle de processos; gerenciamento industrial e da produção.

Mais informações no site da Unisul.

COMPARTILHAR