Esporte em crescimento: oportunidades para fisioterapeutas

A popularização de algumas práticas esportivas vem se tornando cada vez mais evidente. É só sair de casa e encontrar grupos de corridas, turmas de pedalada e até mesmo atletas solitários. Essas cenas corroboram com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, no final de 2018, que indicam que corridas e artes marciais foram as atividades físicas que mais cresceram nas preferências dos brasileiros. A prática das duas modalidades aumentou 194% e 109%, respectivamente.

Esse cenário é positivo para alguns profissionais. Um deles é o fisioterapeuta. Antes, procurado mais por atletas de alto rendimento, viu sua cartela de clientes expandir com a popularização do esporte amador. Para a professora do curso de fisioterapia da Unisul, Graciela Freitas Zarbato, o mercado está em crescimento. “Além do grande número de atletas amadores, também temos o crescimento de eventos, competições de corrida, crossfit, jogos de futebol, voleibol, basquete…”, exemplifica.

A fisioterapia esportiva é recomendada não apenas quando a lesão já ocorreu, mas também como forma de precaução. “Ela é indicada desde a prevenção, preparação e recuperação de lesões no processo de reabilitação de atletas em clubes, times, academias. O objetivo é possibilitar a volta da prática de exercícios o quanto antes, sem dor, devolvendo a funcionalidade tanto para amadores quanto para profissionais”, esclarece a professora da Unisul.

Práticas da fisioterapia esportiva

Algumas atividades realizadas pela fisioterapia esportiva são: massagem esportiva básica antes e após competições, liberação miofascial, drenagem linfática, bandagens articulares, treino de flexibilidade, treino de força, treino de resistência, treino de potência, treino proprioceptivo, eletroterapia, entre outros.

Capacitação

Para atuar no campo da fisioterapia esportiva, o profissional necessita ser formado em fisioterapia, mas não precisa ter nenhum curso específico na área. Porém, como relembra Graciela, o mercado está cada vez mais exigente. “Junto ao crescente reconhecimento do profissional de fisioterapia e da ampliação das suas áreas de atuação, a fisioterapia esportiva tornou-se um segmento em constante expansão. O investimento em pesquisas é grande e novas tecnologias aumentam o sucesso dos tratamentos. Logo, a procura por profissionais com formação de excelência é cada vez maior”, finaliza.

COMPARTILHAR