Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna

Os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) dos especialistas formados nas primeiras edições da pós-graduação lato sensu em Desenvolvimento Regional foram produzidos nos formatos de projetos de resolução de problemas, e estes eram apresentados em um seminário temático ao final do curso. Nesta edição da especialização (2017/2018) os seminários temáticos foram incluídos dentro da proposta metodológica por meio de uma Unidade de Aprendizagem que desenvolve estudos para identificar potencialidades desafios  dos municípios e regiões onde o curso é ofertado, encontrando assim os elementos potencializadores do desenvolvimento regional.

A inclusão deste formato de resolução de problemas ainda durante o curso permite que outras parcerias da universidade sejam utilizadas para o aperfeiçoamento das soluções, permitindo também a participação dos representantes das cidades estudadas nas áreas públicas, do mercado, da sociedade civil organizadas,produtores ou pessoas interessadas na temática. A pós-graduação, realizada nas cidades de Tubarão, Araranguá e Laguna, é uma proposta de formação resultante do edital de oferta de bolsas do UNIEDU, gerenciado pela Secretaria de Estado da Educação, por meio do qual da Gerência de Ensino, Pesquisa, Pós Graduação, Extensão  e Inovação da Unisul – Unidade de Tubarão, teve os três projetos aprovados para as respectivas cidades. “Os seminários temáticos discutem questões da realidade de cada território, baseando-se nos indicadores  da Fiesc, Sebrae, de organizações públicas, privadas e do terceiro setor locais. Cada curso, com base nestes indicadores, discute na unidade de aprendizagem temáticas relevantes para o desenvolvimento regional,  resultando como desafio a indicações de proposta de resolução dos problemas estudados”, destaca a professora Ivana Marcomin, coordenadora da especialização em Tubarão que conta  a participação da Profª Ivone Junges tambem para coordenação do seminário.

Para o município de Tubarão, os indicadores apontaram oportunidades de crescimento na gestão de serviços de saúde, tecnologia da informação, roteiros turísticos, gastronomia, comércio e serviços, e economia solidária. Em Araranguá, sob a coordenação do Prof. Orlandy Orlandi os temas priorizados foram as políticas de desenvolvimento agrícola, comércio e serviços, turismo costeiro, cooperativismo e associativismo, agronegócio e apicultura. Para a cidade de Laguna, onde a coordenação esta a cargo da Profª Patricia Menegaz de Farias as potencialidades encontradas figuram em torno do turismo regional, religioso e de festividades, patrimônio histórico e cultural, comunidades costeiras, gastronomía e recursos naturais e ambientais.

Diante dos indicativos apresentados, os estudantes da pós-graduação pensaram em ideias inovadoras e empreendedoras para identificar as deficiências e potencialidades de cada região.

Confira as potencialidades econômicas na região de Tubarão

Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (6)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (5)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (4)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (3)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (2)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (1)

As pesquisas feitas para encontrar as potencialidades e fragilidades do município de Tubarão e região observaram a ‘Arquitetura de redes: parque tecnológico e Incubadora como geradores de Inovação e crescimento para o desenvolvimento regional’, identificando as atividades e ações desenvolvidas através dos atores do município de Tubarão (público, privado e terceiro setor) como fomentadores da construção de redes geradoras de inovação, tecnologia e empreendedorismo. Dentro desta proposta de viabilidade econômica que potencializa o município, foi desenvolvida uma pesquisa sobre a ‘Educação Financeira’ dos munícipes, considerando a capacidade dos sujeitos de investir no turismo interno como parte do processo de desenvolvimento. Neste estudo foram trazidas observações sobre como as famílias poderiam ter recursos para investir na região se tivessem conhecimentos para a redução de desperdícios, compra por impulso, organização orçamentária, entre outras questões.

Utilizando informações estatísticas disponibilizadas pela prefeitura e secretaria de turismo de São Martinho, apontaram ‘O espaço rural como destino turístico’ avaliando o potencial da cidade, alinhavando a progressão do turismo local e os desafios para alavancar ainda mais este segmento da economia regional. De maneira semelhante também foi feito um estudo para o ‘Fortalecimento da rota turística caminho dos sabores e agroturismo do Município de Pedras Grandes’ com o objetivo de fomentar o turismo regional através da valorização dos produtos gastronômicos coloniais feitos nos empreendimentos que formam a rota, formados por 20 produtores de cinco municípios: Tubarão, Gravatal, Pedras Grandes, Treze de Maio e São Ludgero. Foi realizada saída de campo no dia 24 de março para Pedras Grandes, considerando estudo da Rota dos Sabores e seus municípios componente.

Nos estudos sobre o ‘Desenvolvimento Socioeconômico do município de Pescaria Brava, a partir do complexo lagunar’, foram identificadas as fragilidades e soluções para a rota lagunar de desenvolvimento. Para o município de Pescaria Brava a Universidade propôs uma parceria de estudos com o envolvimento de cursos específicos e grupos de pesquisa, ampliando o encaminhamento das potencialidades. “Tanto a prefeitura quanto a Associação de Pescadores se propuseram a encaminhar demandas estratégicas para que sejam estudadas por grupos de pesquisas e TCCs de determinadas áreas para que se encontre as soluções”, reforça a professora Ivana.

No dia 6 de abril, haverá o seminário ‘Arena Multiuso como instrumento de desenvolvimento regional, social, cultural, esportivo e econômico’. Um debate feito na própria Arena que visa compreender a potência do espaço e possibilidades para o uso. O jornalista Mateus Madeira, um dos estudantes proponentes deste seminário aponta que “será trazido para o debate as experiências de bons e maus usos de espaços semelhantes, com os exemplos das Arenas Multiuso de São José e Jaraguá do Sul,” destaca Mateus. E, a partir desse debate se tornará possível pensar melhores maneiras de usar o espaço da Arena Multiuso do município de Tubarão.

Confira as potencialidades econômicas na região de Laguna

Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (19)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (18)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (16)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (15)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (14)

Na região de Laguna, além dos estudos realizados sobre os ‘Resíduos sólidos urbanos nos municípios de Imbituba e Laguna’ e o projeto sobre a ‘Educação ambiental nas escolas de Laguna’, foi apresentado no último sábado, 24/3, no Silvestre Praia Hotel, o seminário temático ‘Rotas Turísticas de Imbituba’, proposta que visa potencializar as belezas naturais como praias, lagoas, montanhas e dunas, as peculiaridades da cultura açoriana, com os folclores e riquezas gastronômicas, possibilitando o crescimento econômico por meio de ideias inovadoras. “O foco dos estudantes está em serem agentes multiplicadores do desenvolvimento sustentável e territorial do estado, focando na região litorânea que tem muitos atrativos turísticos”, reforça a professora Patrícia Menegaz de Farias, coordenadora da especialização em Laguna.

Para o dia 13 de abril, 19h, no Laguna Tourist Hotel, está agendado o seminário ‘Rota dos engenhos’, proposta turística que inicia em Caputera e passa pelo Distrito de Ribeirão Pequeno até chegar em Pescaria Brava, nos bairros Siqueiro e Barranca.

Confira as potencialidades econômicas na região de Araranguá

Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (13)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (11)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (10)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (9)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (8)
Estudo identifica potencialidades ao desenvolvimento regional em Tubarão, Araranguá e Laguna (7)

Em Araranguá, além dos 25 alunos do curso foram envolvidas 18 autoridades de diversos segmentos da região e convidados. “Os estudantes, quando empoderados, fazem coisas surpreendentes, de modo que os estudos foram feitos com comprometimento, responsabilidade, criatividade, beleza, carinho e principalmente pelos auspiciosos e bons resultados encontrados, eles aprenderam e nos ensinaram,” destaca o professor Orlandy Orlandi, coordenador da especialização em Araranguá.

Dentre as temáticas abordadas, destaca-se ‘O leite no vale do Araranguá’, estudo que envolveu a cooperativa local e agricultores; a ‘Apicultura na região de Araranguá’, pesquisa que aproximou um apicultor da cidade que tem mais de 20 anos de experiência e cerca de mil colméias; um diálogo que envolveu o maior produtor de semente de arroz irrigado do Brasil, munícipe de Turvo, apontando as potencialidades da ‘Cadeia produtiva da semente de arroz’; a aproximação entre a Associação Beneficente Abadeus, que realiza trabalho com pessoas vulneráveis na área de costura, e a Meraki Moda Sustentável, nascida de um desejo de reutilizar e reinventar, mostrou as potencialidades de um ‘Associativismo em moda’; além das potencialidades da ‘Cultura da Pitaya, a fruta dragão’.

Foi apresentado no último sábado, 24/3, os estudos que apontaram ‘A cultura e o turismo na região de Araranguá’, proposta que revelou a origem, cultura, etnia e o elo com o desenvolvimento que acaba não acontecendo. Ao término da apresentação, um dos estudantes que fazem parte do projeto, Neto Nunes, foi convidado pela prefeitura de Araranguá para fazer uma apresentação inicial em uma mobilização junto ao município que acontecerá no dia 7 de abril, este movimento pretende colocar o sistema de cultura da cidade para funcionar, e para isso vai dialogar com a população. “O curso colabora no sentido de trazer maior clareza, um olhar mais crítico, sobre a situação regional, permitindo o aprendizado para de que forma contribuir, afinal, somos todos atores de um coletivo gigantesco. E, neste sentido, os seminários nos ajudam a conhecer a realidade”, conclui Neto.

Ainda no dia 7 de abril acontecerá  a saída a campo (viagem de estudos)  para Santa Rosa de Lima: Agreco e Acolhida na Colonia, onde todos os estudantes dos três cursos poderão observar alguns dos aspectos que foram estudados. Momento onde eles vão socializar perspectivas de soluções de problemas que eles fortaleceram nas visitas in loco, com apresentação de diferentes cases de sucesso.

Este movimento em prol do desenvolvimento regional tem reforçado o compromisso da Unisul com a comunidade e a coloca entre as melhores universidades do país.