Evento promove conscientização sobre câncer de pele

O câncer de pele não-melanoma é um dos principais tipos que atinge os brasileiros. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 180 mil novos casos são registrados todos os anos. Para fazer com que as pessoas tenham mais consciência sobre esse problema de saúde, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) promove a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. A ação ocorre em todo o país e a Unisul, por meio do curso de Medicina, é uma das parceiras e participantes.

O evento acontece no dia 7 de dezembro (sábado), das 9h às 15h, no Ambulatório Médico das Especialidades (AME), no Bloco C, Unisul Campus Tubarão. O objetivo é estimular a população na prevenção e no diagnóstico do câncer de pele. Para participar, não é preciso realizar um agendamento, apenas comparecer ao AME no horário indicado.

Serviço

O que? Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele
Quando? 07/12/2019 (sábado), das 9h às 15h
Onde? Ambulatório Médico das Especialidades (AME), Bloco C, Unisul Campus Tubarão
Quem? Aberto à comunidade, gratuito

Tipos de câncer – segundo a SBD

  • Carcinoma basocelular (CBC): o mais prevalente dentre todos os tipos. Tem baixa letalidade e pode ser curado em caso de detecção precoce. Os CBCs surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas.
  • Carcinoma espinocelular (CEC): segundo mais prevalente dentre todos os tipos de câncer. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc.
  • Melanoma: tipo menos frequente dentre todos os cânceres da pele, o melanoma tem o pior prognóstico e o mais alto índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença.

Como identificar – segundo a SBD

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele, mas é importante estar sempre atento aos seguintes sintomas:

  • Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  • Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.
COMPARTILHAR