Dia do Cinema: Fita Crepe de Ouro revela talentos há 12 anos na Unisul

Há uma resposta bem objetiva a perguntas sobre o sucesso de alunos da Unisul em festivais de cinema e por que o curso de Cinema se destaca em nível nacional.

Nos meandros das teorias, os espaços aumentam para estimular o espírito de inovação dos estudantes, salienta a coordenadora do Curso, professora Mara Salla, para quem os festivais internos Fita Crepe de Ouro e Fitinha Crepe de Ouro incentivam também os alunos a alcançarem a oitava fase do curso com uma visão arrojada do papel das artes cinematográfica, diante da riqueza tecnológica.

“O estudante, ao longo da sua aprendizagem, sabe que na última fase do curso estará disputando uma premiação, que poderá levá-lo a pontuar seu ingresso no mercado competitivo. Com isso, o próprio Curso redimensionou o seu potencial, no sentido de trabalhar a criatividade e a própria inquietação dos aprendizes”, observou.

Mara Salla, cujo esforço é no sentido de ver cada vez mais alunos premiados em festivais – ela mesmo participou, recentemente, de um evento na Itália -, entende que a conscientização dos gestores públicos é fundamental ao fortalecimento do cinema em Santa Catarina.

“O setor audiovisual é importante para a própria economia catarinense, além de se constituir em uma atividade ambientalmente limpa, de alta empregabilidade e que faz circular riqueza. Temos vocação para transformar nosso Estado em uma referência nacional em audiovisual”, conclui.

Prêmio mais recente

Em maio, o estudante do curso de Cinema, Victor Zanini, teve seu vídeo premiado no Festival do Minuto, na categoria Animação. O futuro cineasta produziu o vídeo Aminutado, o não Finalizado, Ensaio Autorretratado.

A animação surgiu de um exercício para uma das disciplinas de roteiro, ministrada pelo professor Demétrio Panarotto. O aluno ficou surpreso ao receber o prêmio, pois nem sabia que sua animação havia sido inscrita no concurso. Seu produtor Renan Rigon fez a inscrição sem que Victor soubesse.

COMPARTILHAR