Homens também são afetados pelo câncer de mama

Um tipo de câncer pouco falado entre os homens é o câncer de mama. Apesar do diagnóstico ser considerado raro, um caso para cada 100 em mulheres, a doença precisa receber a devida atenção. Alguns fatores fazem com que a doença nos homens seja diagnosticada em um estágio avançado, já que muitos deles desconhecem que o câncer de mama também acomete o sexo masculino.

O professor do curso de Medicina da Unisul, o médico mastologista Marcos Medeiros, reforça a importância do homem se autoconhecer. “A mama no homem não é desenvolvida, ele não vê e por isso não fala sobre. Além disso, os homens são menos propensos a procurarem um tratamento médico ou discutir sobre o assunto. Eles acham que não possuem mama e por isso não são acometidos pela doença”.

Sintomas

Assim como nas mulheres, o câncer de mama nos homens possui alguns sintomas característicos, como nódulos palpáveis, aumento no volume da mama, crescimento ou retração da pele. Também há a possibilidade de sair um líquido de cor avermelhada das mamas.

Nos homens, o principal fator de risco são a hereditariedade e alterações genéticas, como a Síndrome de Klinefelter, também conhecida como XXY. Nesta síndrome, como os portadores possuem ginecomastia, que é o crescimento das mamas, há uma maior chance de desenvolverem câncer de mama.

Prevenção

As mulheres, que são mais acometidas pelo câncer de mama, realizam, periodicamente, exames de rastreamento, como a mamografia. Já nos homens, esta medida não é recomendada. “A prevenção no homem seria o diagnóstico precoce ao perceber alguma alteração na mama. Porém, como eles demoram a procurar um médico, normalmente fazemos o diagnóstico em um estágio mais avançado, o que vai acabar impactando no prognóstico”, explica o mastologista.

Então, segundo reforça o especialista, caso perceba alguma alteração nas mamas, a pessoa deve procurar um médico que fará uma avaliação do caso.

COMPARTILHAR