Laboratório de Biologia da Unisul recebe cobras apreendidas pela PMA

Por meio de uma denúncia anônima, a Polícia Militar Ambiental localizou diversas cobras que viviam em cativeiro de maneira irregular, na cidade de Joinville, em Santa Catarina. Ter cobras sem registro é considerado crime ambiental, previsto por lei, por isso as serpentes terão que ser apreendidas.  A PM Ambiental acionou a Unisul, e na terça-feira, 11/08, as cobras foram transportadas para o Laboratório de Biologia da Unisul.

O biólogo e professor da Unisul, Rodrigo Ávila Mendonça, responsável por esta operação, está em Joinville nesta tarde, onde foi buscar os animais. “As cobras irão a princípio para o Laboratório de Biologia, onde temos o grupo de pesquisa de zoologia e ecologia de vertebrados”.

O médico veterinário, Joares May, professor da Unisul, disse que foram registradas 7 cobras da espécie Corn Snake, naturais do interior dos Estados Unidos e uma Píton, natural do interior da Índia. May explica que muitas pessoas tem cobras como um animal de estimação, por gostarem desta espécie, e outras para comercio ilegal. “As cobras passarão por exames nos Hospital Veterinário da Unisul, para avaliarmos as condições de saúde que elas se encontram”.

De acordo com o professor Rodrigo, as serpentes ficarão com o Grupo de Pesquisa para educação ambiental e cursos que são ministrados para capacitar a Policia Ambiental e os Bombeiros no Estado de Santa Catarina. “Estes profissionais estão a todo momento indo atender chamadas e denúncias por conta deste animais e muitas vezes não tem o treinamento específico, as técnicas de captura deste animais, a contenção e o transporte”, explica.

COMPARTILHAR