Letras investe no digital para estimular a paixão literária

O curso de graduação em Letras da Unisul, em Tubarão, investe em um ambiente digital de aprendizagem para estimular o gosto pela literatura e mostrar que o papel da universidade não foge ao compromisso de desenvolver talentos, para revelar novos escritores, roteiristas, teatrólogos, “tudo que a riqueza cultural é capaz de produzir”. A observação é do professor Fábio Ballmann, coordenador do Curso de Letras, para quem a literatura pop deve hoje estimular a juventude tanto quanto Machado de Assis influenciou várias gerações.

O conteúdo curricular do curso não se limita mais à literatura tradicional. O trabalho com imagens, cultura digital, dramaturgia, estética e linguagens modernas faz parte de um novo currículo que deixa para trás uma visão antiga que só enxergava o clássico literário.

“Sim, tenho que admitir o risco de autores clássicos ficarem para trás. Mas é impossível, por exemplo, imaginar a possibilidade hoje de conhecer os milhares de escritores de sucesso dos últimos 10 séculos.  Precisamos fugir ao protecionismo exacerbado de um passado rico da literatura para abrir espaços a novas obras, concepções e talentos”, salienta Fábio.

O ambiente digital, criado pelo curso de Letras, motiva o aluno à criatividade e a uma viagem à imaginação, constituindo-se em um laboratório à revelação de novos escritores, dramaturgos, tudo o que a cultura enseja e está exigindo. E, neste sentido, o Curso de Letras quer avançar ainda mais, sem imposição curricular, “mas num processo em que professor, aluno e autores e atores externos exerçam a sua influência em favor de mudanças benéficas e da valorização e enriquecimento da literatura e das letras”, conclui o professor Fábio Ballmann.

 

COMPARTILHAR