Mais de 90 crianças tornam-se Terapeutas da Alegria

A fim de levar sorrisos, alegria, carinho e atenção para crianças, adultos e idosos, mais de 90 crianças e adolescentes tiveram a oportunidade de se formar como Terapeutas da Alegria na última quinta-feira, dia 7 de junho, em evento no Espaço Integrado de Artes (Bolha).

A missão dos Terapeutas é promover a experiência da alegria como fator potencializador de relações saudáveis, além de contribuir no processo de melhoria do quadro patológico. Para tal, pessoas sensíveis assumem a figura do doutor palhaço e descontraem as pessoas hospitalizadas, seus acompanhantes e profissionais de saúde. E ainda compartilham a qualidade desse encontro com a sociedade, com produção de conhecimento, formação e criações artísticas, promovendo aprendizagem significativa em todos os ambientes de atuação do grupo.

A coordenadora do projeto, professora Carla Saul Garcia Marcelino, ressalta o que é o projeto com a metáfora da canja de galinha. “Os terapeutas da alegria são a canja de frango de vó, com salsinha e cebolinha, que acalenta e que conforta. Usamos essa analogia para dizer que a canja não é um remédio, não cura, mas ajuda. Esse é papel do nosso projeto dentro da universidade e da escola”, direciona.

Para o diretor do Colégio Dehon, é preciso desenvolver pessoas que sejam capazes de espalhar alegria, amor e um ambiente fraterno. “Nós precisamos de médicos cada vez mais humanos, engenheiros cada vez mais humanos, professores cada vez mais humanos. As portas estão abertas para os pais que também querem ser Terapeutas da Alegria”, convida Matiolla.

O evento contou com a presença dos pais e familiares dos formandos, do diretor do Colégio Dehon, professor José Antonio Matiolla, do reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt, e a equipe do grupo Terapeutas da Alegria.

 

COMPARTILHAR