Mestrando apresenta artigo sobre Gestão Hospitalar, na Nova Zelândia

Ricardo Luz faz mestrado em Administração na Unisul, Campus Grande Florianópolis, Unidade Pedra Branca, e recentemente apresentou um artigo científico em Auckland, Nova Zelândia, na International Conference on Information Resources Management (Conf-IRM 2019). Ele está na primeira parte da sua dissertação, em que está se dedicando a avaliação do processo e dos resultados da implementação de um sistema de gestão hospitalar, denominado AGHU (Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários). Trata-se de um software a ser implementado nos hospitais universitários brasileiros, visando a padronização das práticas assistenciais e administrativas. Esta foi a primeira participação do mestrando em um congresso internacional.

Segue, abaixo, uma entrevista com o estudante Ricardo Luz, em que ele conta mais sobre o seu projeto de pesquisa e a sua relação com a Unisul.

Unisul Hoje: Conte-nos sobre a sua pesquisa.
Ricardo: A pesquisa da qual participo, coordenada pela professora Dra. Clarissa Carneiro Mussi, vinculada ao PPGA da Unisul, versa sobre a avaliação do processo e dos resultados da implementação de um sistema de gestão hospitalar, denominado AGHU – Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários. O AGHU está sendo implementado na rede de hospitais universitários federais e consiste em uma iniciativa do governo federal destinada a padronizar as práticas assistenciais e administrativas e assim permitir a criação de indicadores nacionais, o que facilitará a adoção de projetos de melhorias comuns para esses hospitais. Nossa pesquisa irá identificar como o processo de implementação do sistema e seus resultados vêm sendo percebidos sob a ótica dos múltiplos atores envolvidos.

Unisul Hoje: Como será feita a pesquisa?
Ricardo:  O processo de pesquisa compreenderá a coleta de dados através de aplicação de questionários on-line e, em alguns casos, da realização de entrevistas presenciais, à rede de HUs usuária do sistema AGHU, num total de 40 hospitais.

Unisul Hoje: O que te despertou interesse em investigar este tema ou sobre o uso de tecnologias na gestão hospitalar?
Ricardo: Pessoalmente, acredito que a pesquisa atinge seu máximo em relevância quando passível de aplicação prática em benefício direto da sociedade. Ao ser apresentado ao projeto de pesquisa conduzido pela Profa. Clarissa, tomei conhecimento do seu potencial de contribuição em prol da melhoria do serviço de saúde pública prestado pelos hospitais universitários.  Assim, quando me foi dada a possibilidade de integrar a equipe de pesquisa, aceitei de imediato.

Unisul Hoje: Quais dados e instituições serviram de base e referência?
Ricardo: A pesquisa ainda está sendo desenvolvida. Após realizarmos, em uma primeira etapa, uma revisão na literatura, através da aplicação da metodologia Proknow-C, identificamos o estado de arte em trabalhos científicos voltados à nossa questão de pesquisa. Baseado nas informações obtidas com essa revisão, estamos agora desenvolvendo os instrumentos para coleta de dados (questionários e roteiros de entrevistas).

Unisul Hoje: Quando será feita a coleta de dados?
Ricardo: A coleta e análise de dados será efetivada no segundo semestre de 2019. Os primeiros resultados das análises serão disponibilizados até o mês de dezembro. A coleta de dados irá abranger 40 hospitais universitários federais espalhados por todo o território nacional. Nessa etapa esperamos atingir um mínimo de 700 indivíduos, entre usuários do sistema e gestores diretamente vinculados ao processo de implementação do AGHU.

Unisul Hoje: Quais benefícios a sua pesquisa irá oferecer aos hospitais e também à sociedade?
Ricardo: A situação crítica em que se encontra a saúde pública no Brasil perpetua-se já por algum tempo. Assim, toda e qualquer medida que contribua para minimizar os efeitos adversos dessa situação adquire relevância. Acreditamos que os resultados a serem entregues pela pesquisa proporcionarão aos gestores públicos uma visão mais realista da situação dos HUs o que lhes permitirá um planejamento salutar dos recursos a longo prazo, gerando práticas de reestruturação de políticas e incentivos na modernização dos hospitais, e, por consequência, melhorias na qualidade do serviço prestado à população.

Unisul Hoje: Fale sobre o congresso. Como foi a sua participação?  
Ricardo: Participamos na última semana do mês de maio da Conf-IRM 2019 (Conference on Information Resources Management – 2019), realizada na cidade de Auckland, na Nova Zelândia. Nesse evento apresentamos um artigo que descreveu a etapa de seleção e análise bibliométrica de um portfólio bibliográfico vinculado ao tema de pesquisa, utilizando-se a metodologia Proknow-C. Trata-se da primeira e fundamental etapa do processo de pesquisa, destinada a criar o embasamento teórico a orientar as etapas subsequentes.

Unisul Hoje: Como foi feita a submissão da pesquisa?
Ricardo: Submetemos o artigo ao evento pelo alinhamento entre o tópico pesquisado e as linhas de pesquisa a serem tratadas. Para nossa satisfação o trabalho foi aceito. Foi minha primeira participação em um congresso internacional e uma excelente oportunidade de troca de experiências e formação de networking, além de um forte incentivo à continuidade do trabalho em pesquisa.

Unisul Hoje: Nos conte um pouco da sua trajetória na Unisul.
Ricardo: Meus planos para cursar o mestrado já vêm de algum tempo. Infelizmente sempre encontrava limitações quanto à disponibilidade de tempo, dadas minhas atividades profissionais. Em 2018 tomei a decisão de priorizar minha formação e elegi a realização do mestrado como meta principal. Avaliei as instituições e optei pela Unisul, pelo alinhamento entre as linhas de pesquisa desenvolvidas e meus interesses pessoais. Tenho experimentado excelentes oportunidades de aprendizado e crescimento, oportunizadas por uma equipe de professores de primeira linha em um ambiente voltado à pesquisa de alta qualidade.

Unisul Hoje: E agora, quais são os próximos passos?
Ricardo: Minha prioridade é concluir a pesquisa sobre o processo de implementação do AGHU e, com isso, defender minha dissertação de mestrado, o que deve ocorrer em dezembro deste ano. Na sequência, fortalecer minha atuação na docência e, se possível, ingressar no programa de doutorado.

COMPARTILHAR