Natureza: a sala de aula do curso de Ciências Biológicas

No modelo atual de ensino é essencial que a teoria e a prática andem juntas. Pensando nisso, o curso de Ciências Biológicas da Unisul levou os estudantes a campo para aprenderem em um ambiente rico de informações e possibilidades: a natureza. Os acadêmicos aplicaram sete projetos de pesquisa, elaborados por eles mesmos, em um fragmento florestal de Tubarão, com 250 hectares. A atividade fez parte da Unidade de Aprendizagem em Ecologia de Populações e Comunidades, ministrada pela professora Patrícia Menegaz.

Há seis anos a professora utiliza esta prática com os estudantes e afirma que todo o processo de construção do projeto é essencial para a formação do futuro profissional. “O estudante participa de todas as etapas da elaboração de estudos ambientais: desde a formulação da proposta até a análise dos dados obtidos em campo. Tudo isso também gera informações importantes sobre a fauna e a flora da nossa região”, relata Patrícia.

Alguns projetos

  • Procurar identificar padrões na estrutura da população de Hydrochoerus hydrochaeris (nome científico da capivara) em um trecho da mata ripária do Rio Tubarão;
  • Comparar o banco de sementes do solo em áreas florestais e antropizadas;
  • Avaliar a dispersão de sementes por besouros escarabeíneos em um fragmento florestal do município de Tubarão.

O escritório é na praia

A Unidade de Aprendizagem Bentos, do curso de Ciências Biológicas, também foi a campo colocar em prática os ensinamentos da sala de aula. Os estudantes, acompanhados pela professora Thereza Garbelotto, foram até Imbituba ver a distribuição dos organismos bentônicos de costões rochosos e aplicar métodos de coleta.

Além disso, os acadêmicos também puderam realizar técnicas de coletas em um ambiente de praia arenosa na praia da Vila, em Imbituba. O trabalho continuará com aulas de laboratório para triagem e identificação desses animais com o auxílio de chaves dicotômicas e elaboração de relatório de campo.