Na Naturologia o interagente é parte essencial do processo ativo de cura

As pessoas que buscam pelos tratamentos naturais, encontram na Naturologia uma aliada neste processo.  Em 2006 as práticas naturais foram reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e em 2018 outras práticas foram incorporadas, o que potencializou a atuação dos profissionais e representam uma grande conquista ao setor.

O professor Daniel Rodrigues, coordenador do curso de Naturologia da Unisul, atribui o reconhecimento pela grande procura das pessoas pelos diversos benefícios. “As pessoas buscam as terapias naturais porque têm menos efeitos colaterais, são mais acessíveis e integram o ser humano na natureza, no ambiente, na sociedade e que tenham uma visão mais ampla do processo vida-saúde-doença”.

Isso porque existem casos em que os tratamentos convencionais não surtiram efeito e sofreram a chamada reversão dos sintomas. “São interagentes que tentaram vários tratamentos e chegaram à terapia já desacreditadas e apresentaram melhora significativa. Claro que em muitos casos as terapias são utilizadas, mas não são reversíveis, a doença já está em grau avançado. No entanto, auxiliam na qualidade de vida. Por isso, muitas vezes são paliativas, trazendo qualidade de vida para esta pessoa”, complementa o professor Daniel.

O sucesso nos tratamentos tem se apresentado em diversos casos de desequilíbrio quais o ser humano é acometido como estresse, ansiedade, depressão, ciatalgia, problemas gestacionais, insônia entre outros e também, em doenças crônicas como o câncer, no cuidado paliativo.

Porém, o professor Daniel, ressalta que nas enfermidades crônicas, a atuação da Naturologia se encontra nos tratamentos para fortalecer as funções do organismo. “Tudo está voltado a qualidade de vida desta pessoa, então as práticas são para desintoxicar, auxiliar nas reações orgânicas através de estímulos que atuem em diversos sistemas fisiológicos”, defende.

Entre as práticas da Naturologia mais procuradas se destacam as da medicina chinesa, ventosa, acupuntura, florais, aromaterapia que vem das plantas medicinais e outras terapias em alta como a hipnose, a barra de access, e constelação familiar.

Todavia, Daniel destaca que para surtir efeito o comprometimento do interagente com o tratamento é imprescindível. “A dedicação é importante porque o naturólogos trabalham muito com educação em saúde, mudanças no estilo de vida, autoconhecimento, empoderamento, então essas características do autocuidado são essenciais para o sucesso do tratamento. Por isso ela é interagente e não paciente porque é parte do processo ativo de cura”.

A Naturologia valoriza muito as outras culturas, principalmente os conhecimentos tradicionais sejam eles advindos de diversos cantos do mundo. “Como por exemplo da Ásia com a medicina indiana, medicina chinesa, as terapias corporais de lá. Como também os conhecimentos vindos da Europa, da América Central, da África e esses conhecimentos como terapias corporais, de música, de dança e arte são muito procurados pela sociedade. Então por essa característica de aprender várias culturas e formas de tratamento e que por exemplo o maracatu tem relação com a Naturologia.

O curso de Naturologia da Unisul comemorou 20 anos em 2018 e desde o seu início as conquistas foram muitas para esses profissionais como por exemplo, o reconhecimento pela classificação Brasileira de Ocupação do Ministério do Trabalho e concursos públicos para naturólogos. “Hoje são naturólogos trabalhando no SUS seja por concurso ou contrato, são mais de 29 terapias reconhecidas pelo Sistema.  Naturólogos empreendedores que atuam em diversas áreas também, como na pesquisa, gestão em SPAs, clínicas de terapias, centros de referência, educadores em projetos como de preparar pais, partos naturais, desenvolvimento pessoal, em terapias de constelação familiar, dentre outras. Um estudo apontou que mais de 60% dos naturólogos trabalham na área. ”, comemora professor Daniel.

Ao longo de sua história, o Curso tornou-se bem prático, ressalta o Professor. “A cada semestre o estudante aprende no mínimo duas terapias desde a primeira fase para experienciar em si, conhecer essas terapias para desenvolvê-los quanto profissionais. É preciso primeiro cuidar dos naturólogos para que cuidem do interagente, do outro”.

COMPARTILHAR