O crescimento do ramo cervejeiro e o auxílio da agronomia

Aliando a paixão pelo campo e pelo mundo cervejeiro, o egresso do Curso de Agronomia da Unisul, Leonardo Rafael Teixeira, hoje é um dos fundadores da Faroeste Beer, empresa de Itajaí que desenvolve cervejas artesanais. Formado há 13 anos, ele e o irmão decidiram plantar a cevada e o lúpulo e abrir uma fábrica para produzir a bebida. Há dois meses eles começaram a produção em maior escala.

O mercado vem crescendo e trazendo novas oportunidades para os empreendedores. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, houve um crescimento de 37,7% no número de cervejarias registradas no Brasil no último ano. Santa Catarina é o quarto estado com o maior número de cervejarias no país, contabilizando 78. O estado fica atrás do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Paixão de infância

Desde pequeno Leonardo sempre teve uma ligação forte com o campo, já que o pai e o avô eram agricultores. Na hora de escolher a profissão do futuro, ele não teve dúvidas: faria agronomia. Na faculdade aprendeu toda a parte teórica e aliando os conhecimentos práticos adquiridos durante os estágios, iniciou a sua carreira no ramo. “A agronomia é um dos cursos mais completos para fazer: te dá noção de agricultura, criação de animais, o embasamento é muito grande. Te dá a capacitação para explorar as diversas possibilidades do setor”, afirma.

Além do ramo cervejeiro, o engenheiro agrônomo também possui outra empresa que presta serviços para multinacionais no desenvolvimento de novos produtos. Após a graduação, Leonardo continuou se especializando no setor. “É muito importante estar sempre se capacitando em atividades que envolvam a sua produção. Estudando sempre você consegue desenvolver um trabalho diferenciado e se destacar no mercado”, acredita.

Para superar os momentos de crise, o engenheiro agrônomo afirma que é preciso usar a criatividade e ter perseverança. “O grande segredo do sucesso é fazer as coisas diferentes, e vencer os desafios do dia a dia. Sempre vai existir a oportunidade para quem quer trabalhar e transformar as coisas de uma forma boa e produtiva” finaliza.

COMPARTILHAR