O óleo de cozinha e a poluição das águas

Estima-se que cerca de 97,5% da água existente no mundo é salgada, e apenas 2,5% de água doce, potável ao ser humano. Era de se esperar que houvesse um maior cuidado então com a água que bebemos, não é mesmo? Porém, de acordo com um relatório divulgado pela ONU Meio Ambiente na última quarta (13), os poluentes nos sistemas de água potável farão com que a resistência antimicrobiana se torne a maior causa de mortes até 2050.

Um dos poluentes mais descartados incorretamente pelos brasileiros é o óleo de cozinha. Um litro da óleo pode poluir, aproximadamente, 20 mil litros de água. Uma das soluções para evitar que esse óleo acabe prejudicando o meio ambiente é a reciclagem. Na Unisul, o projeto de extensão Educação Ambiental Comunitária, realiza um trabalho de conscientização com toda a comunidade para promover a reciclagem do óleo de cozinha.

Em alusão ao Dia Mundial da Água, no dia 22 de março, o projeto, juntamente com a Fundação do Meio Ambiente de Tubarão, a Tubarão Saneamento e a AFUBRA promovem um evento sobre a preservação e o uso consciente da água. A ação tem início no dia 20 e vai até o dia 22.

Uma Torre Verde, instalada ao lado do Shopping Unisul, estará recebendo doação de óleo de cozinha, armazenado em garrafas pet. “O objetivo é sensibilizar a população sobre os males que a má destinação do óleo pode ocasionar. O descarte correto do produto diminui a poluição ambiental, visto que o óleo arrecadado será reciclado e transformado em biodiesel”, esclarece Maricelma Simiano Jung, coordenadora do projeto Educação Ambiental Comunitária.

COMPARTILHAR