Obstáculo é ponto de partida para realizar os sonhos

A limitação nunca foi um obstáculo na vida de Sergio Santana, muito pelo contrário, sempre serviu como ponto de partida para alcançar seus objetivos. E foi na Unisul, que realizou um dos seus maiores sonhos, graduar-se.

Natural de Aracaju (SE), Sergio tentou a primeira experiência universitária na década de 90, mas devido a problemas de saúde, precisou desistir do curso. Anos depois, foi aprovado no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). “Ingressei no curso de Direito em uma universidade em minha cidade, mas devido a dificuldades com a saúde que já foram sanadas fui obrigado a trancar o curso, embora com o tempo eu descobrisse que não era o que eu queria para mim. Quando passei no ENEM, o curso de Relações Internacionais da Universidade Federal de Sergipe, UFS,  a pontuação possibilitou que então eu cursasse quase todos os cursos da UFS, até mesmo Medicina. Cheguei a fazer a pré-matrícula para o curso, que sempre admirei. Mas acabei não tendo como frequentá-lo porque não encontrei um meio de transporte entre a minha casa e a universidade, que aceitasse levar a minha cadeira de rodas”, conta.

Agora, egresso em Ciências Aeronáuticas, Sérgio enfrentou muitas dificuldades até concluir a graduação. E nunca pensou em desistir, muito pelo contrário, encarou tudo de frente e galga os trilhos na carreira que escolheu e exerce com paixão.

Vencidos os empecilhos, soube da oferta do curso de Ciências Aeronáuticas pela Unisul e então providenciou toda a documentação para ingressar ainda em 2014. E estudar a distância não foi difícil, pois ao longo de sua vida acadêmica, estava habituado a este tipo de metodologia. “Eu soube do curso por acaso, como costuma acontecer com as melhores coisas da vida. Como de certa forma já estava acostumado a estudar de maneira autônoma, pois concluí o ensino médio através do supletivo, fazer um curso EaD não foi complicado. Ainda mais em um assunto pelo qual sempre tive paixão, a aviação, que desde 2005 escrevo profissionalmente sobre o tema, acumulando dezenas de textos publicados em revistas especializadas do Brasil e exterior e dois livros”, explica Sérgio.

Com a facilidade em adaptar-se à metodologia a distância da Unisul, Sérgio passou a estudar de casa e se deslocava ao polo de apoio presencial para realizar as avaliações presenciais do semestre. “Comparecia no polo nas datas de provas e sempre fui muito bem atendido, por toda a equipe, destacando a ajuda sempre presente de Renata Santana, que ajudava a empurrar a cadeira de rodas para vencer uma rampa íngreme na entrada da sala”.

Em pouco tempo de curso, surgiu a oportunidade de prestar o concurso promovido pela Academia da Força Aérea para apresentação de novas tecnologias e recebeu total apoio do coordenador de seu curso, o professor José da Silva Júnior.

Ainda na Unisul, no ano de 2016, se inscreveu no Programa de Iniciação Científica, sob a orientação do professor Camel André, na área de Segurança Pública: “entretanto, como eu terminaria o curso em fins de 2017 não haveria como continuar no programa”.

Também participou do concurso da Agência Nacional de Aviação Civil, em parceria com o professor Paulo Roberto. “O Professor Paulo deu pleno apoio à causa dedicando o seu tempo para passar pacientemente dicas valiosas, compartilhando seu vasto conhecimento comigo”, fala Sérgio.

Além dos concursos prestados, Sérgio se manteve envolvido em diversos projetos, participou de seminários em parceria com outros colegas como por exemplo, com trabalhos desenvolvidos trabalho sobre aeronaves de alerta antecipado e controle na América Latina: “também desenvolvi um trabalho a ser apresentado na Escola de Comando e Estado Maior do Exército Brasileiro. Nosso trabalho foi sobre os sistemas de enlace de dados das Forças Armadas brasileiras”.

Encerrado o ciclo da graduação, a cerimônia de formatura foi surpreendente para Sérgio e sua família, que saíram de Sergipe a Florianópolis para partilhar deste momento único: “a colação de grau foi uma experiência inesquecível, principalmente porque inicialmente eu achei que não ia poder participar, devido à distância. Mas tudo deu certo. Viajei com parte da minha família. Tudo foi realmente muito emocionante e significativo. Um fato curioso é que fui o único graduando de Ciências Aeronáuticas presente na cerimônia e pude conhecer pessoalmente meus professores Paulo Roberto e Giovani de Paula. Realmente um momento inesquecível que não apenas coroou o final de uma fase de uma trajetória, mas o passo inicial de outra fase no mesmo caminho, no qual tenho tido a sorte de contar com pessoas muito especiais”.

E agora, graduado, segue seus estudos em uma especialização também no EaD: “como sempre tive gosto pela pesquisa, continuo empenhado em descobrir novos caminhos, inclusive elaborando vários livros simultaneamente para lançamento em futuro próximo”, conclui Sérgio.

COMPARTILHAR