Palestra aborda papel do cidadão diante das mudanças no meio ambiente

Uma mancha, localizada no meio do oceano Pacífico, é resultado de um acúmulo de 80 mil toneladas de lixo. Isso representa uma área de 1,6 milhão de quilômetros quadrados, quase duas vezes o tamanho territorial da França. A macha, conhecida como Grande Mancha de Lixo do Pacífico, é composta, principalmente de plástico. Esse caso é considerado uma das maiores catástrofes ambientais produzidas pela humanidade. Apesar da Grande Mancha estar longe de Santa Catarina (ela fica localizada entre a costa da Califórnia e do Havaí), todos podem contribuir para reduzir os impactos ambientais.

Segundo a professora da Unisul e especialista no tema, Ana Fátima da Silva, é preciso que as pessoas reconheçam o seu papel como cidadão diante de todas essas mudanças. “Precisamos perceber o que estamos fazendo na nossa casa, na nossa cidade e como isso vai impactar todo o resto das pessoas e o planeta como um todo”, afirma.

Semana do Meio Ambiente

A professora ministra uma palestra com o tema “Consciência e ação: semeando práticas sustentáveis”, em alusão ao Dia do Meio Ambiente (5). De acordo com Ana Fátima, o dia do meio ambiente deveria ser comemorado e lembrado todos os dias. “Todos nós deveríamos estar conectados com a natureza interior (que existe dentro de nós) e com a exterior. Nós somos essa natureza. É a partir dessa conexão que realizaremos nossas atividades diárias de forma consciente. Com a rotina do dia a dia as pessoas acabam se distanciando dessas práticas”, lamenta.

A palestra acontece na Unisul, nesta quarta-feira (5), no auditório do Uniparque (no Shopping Unisul), a partir das 19h30min. Durante o evento, a especialista irá mostrar aos participantes práticas que podem ser realizadas no dia a dia. Conhecimentos fáceis para que todos possam auxiliar na conservação do planeta. “Muitas vezes as pessoas não fazem e não adotam essas práticas porque não sabem que elas existem, nem como fazer”, finaliza.

COMPARTILHAR