Pesquisa analisa a qualidade do sono de trabalhadores noturnos

Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE, no Brasil, mais de sete milhões de pessoas trabalham em turno. Um outro dado, que traz um alerta, é com relação a qualidade do sono: 72% da população brasileira sofre de doenças relacionadas ao sono, segundo uma pesquisa da Royal Philips. Foi pensando na classe dos enfermeiros e técnicos de enfermagem, que trabalham em turnos (fora do horário tradicional – manhã e tarde), que o acadêmico de Medicina da Unisul, Rafael Silveira Batista, realizou uma pesquisa avaliando a qualidade do sono e a prevalência de sintomas depressivos nesses profissionais. O estudo fez parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do estudante e foi orientado professora da Unisul, a neurologista Aline Vieira Scarlatelli Lima.

Como esses profissionais ficam acordados à noite para trabalhar, isso gera desalinhamentos dos ritmos do corpo, do ciclo sono vigília, aumenta o consumo de alimentos não saudáveis e diminui a energia para prática de atividades físicas. Essa rotina aumenta o risco de doenças cardíacas, síndrome metabólica, cânceres e outras doenças.

Resultados

A pesquisa avaliou enfermeiros e técnicos de enfermagem que trabalham em um hospital de Tubarão. O acadêmico comparou os profissionais que trabalham em horários tradicionais e os que trabalham em turno. Três questionários foram aplicados: um com informações gerais e outros dois para avaliar a qualidade do sono e a prevalência de sintomas depressivos.

Após a avaliação, foi possível perceber que as pessoas que trabalham em turno têm maior propensão a sobrepeso e obesidade, praticam menos atividades físicas e têm menos disposição para atividades diárias. O estudo não encontrou associação entre o ritmo de trabalho e uma pior qualidade do sono ou uma maior prevalência de sintomas depressivos quando comparados a trabalhadores de turno tradicional.

Segundo Rafael, esses resultados podem ser explicados por uma melhor adaptação de algumas pessoas ao trabalho em turno noturno. “E são essas pessoas que continuam nessas funções. Quem não se adapta acaba por trocar de turno ou então de função”, explica.

Trabalho de Conclusão de Curso

O estudante apresenta o trabalho na próxima quarta-feira (6). Você pode conferir a tabela com todas as apresentações do curso de Medicina da Unisul clicando no link abaixo. São 43 trabalhos com temas relacionados à saúde pública hospitalar.

COMPARTILHAR