Pesquisa aponta falta de conhecimento sobre medicamentos

Com a chegada da terceira idade, é comum que a quantidade de remédios aumente, devido a diversos problemas de saúde. Porém, é importante que estes medicamentos sejam prescritos por médicos e que o paciente tome adequadamente, conforme recomendação. Mas esta não foi a realidade que as estudantes de Farmácia, Francielly da Silva e Letícia Machado Costa, descobriram ao realizar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). A pesquisa foi orientada pela professora Alessandra de Sá Soares.

As acadêmicas entrevistaram 114 pacientes idosos e cuidadores de pacientes para saber sobre o conhecimento sobre os medicamentos domiciliares e os medicamentos utilizados no hospital. O resultado foi que a maioria dos entrevistados não sabia exatamente o nome do remédio, a sua indicação e posologia.

O conhecimento sobre medicamentos hospitalares foi nulo. Já o conhecimento sobre o uso de medicamento domiciliares, o conhecimento pleno não foi identificado em nenhuma entrevista. Já o conhecimento intermediário foi identificado em 64 entrevistas, e o não conhecimento em 50. As acadêmicas reafirmaram que esta realidade pode levar a problemas e desfechos desfavoráveis, já que a utilização correta é um fator importante ao controle das doenças (sejam elas agudas ou crônicas).

Para a pesquisa, as estudantes analisaram o conhecimento entre medicamentos de uso domiciliar e medicamentos utilizados na instituição hospitalar. O conhecimento foi dividido em:

  • Conhecimento pleno: quando o paciente/cuidador respondeu o nome do medicamento, indicação e posologia;
  • Conhecimento intermediário: quando o paciente/cuidador respondeu o nome do medicamento, e/ou posologia e/ou indicação;
  • Não conhecimento: quando o paciente/cuidador não soube dar nenhuma informação referente ao medicamento utilizado.

Conheça o Curso de Farmácia

COMPARTILHAR