Pesquisa aponta soluções na agricultura familiar produtora de morangos

A recente dissertação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Unisul (PPGCA) relacionou a tecnologia e a sociedade para avaliar os impactos ambientais e de trabalho na produção de morangos na agricultura familiar. A pesquisa elaborada por Aline Santiago obteve resultado inovador que envolve as condições ambientais de produção e de trabalho dos próprios agricultores.

Agricultura Familiar no Estado de Santa Catarina

Intitulada como Agricultura Familiar no Estado de Santa Catarina: avaliação dos impactos ambientais e de trabalho dos produtores de morangos, Aline escolheu o tema devido a necessidade de pesquisas referentes ao morango apontada em uma conversa entre a universidade e o Núcleo de Inovação Tecnológica para Agricultura Familiar (Nita). A dissertação foi orientada pelas professoras Ana Regina de Aguiar Dutra e Anelise Leal Vieira Cubas, do PPGCA.

O consumo de alimentos orgânicos cresce devido a maneira de cultivo que preserva tanto as propriedades quanto as características do produto. Sendo assim, o cuidado com a pré-colheita interfere no cultivo do morango no campo e oferece um bom estado do fruto colhido.

“O morango é muito sensível às interferências externas e também é considerado dos principais alimentos suscetíveis aos resíduos de agroquímicos acima do limite permitido. Diante disso, aprofundei meus estudos a respeito do processo produtivo no tocante as questões ambientais e de trabalho destes indivíduos”, diz Aline.

A pesquisa inovadora

Nesse processo, Aline usou duas ferramentas metodológicas: a Matriz de Leopold na avaliação dos impactos ambientais e pesquisa das exigências físicas das tarefas impostas aos trabalhadores como os gestos, as posturas, o deslocamento e a elevação de cargas.

Já na produção de morangos, aplicou dois métodos: a escala de desconforto corporal, para investigar as queixas corporais dos produtores durante sua jornada de trabalho, baseado nos autores Corlett e Manenica, e o Método OWAS, para definir os riscos de adoecimento em relação às posturas adotadas durante as atividades laborais.

O resultado inovador está na combinação de ambas as ferramentas que  segundo Aline facilitaram no diagnóstico e apontamento das alternativas sustentáveis e condições de trabalho atendendo aos três pilares: social, ambiental e econômico.

“A grande inovação está no alinhamento das metodologias juntas nas questões ambientais e também para as condições de trabalho dos agricultores. Essa inovação contempla o olhar a respeito da sustentabilidade e contribui com objetivos do desenvolvimento sustentável porque permitiu caracterizar as propriedades produtoras de morangos dos municípios de Içara e Rancho Queimado”.

A pesquisa identificou os seguintes benefícios sobre os morangos e demais alimentos orgânicos:

§  Ausência de agrotóxicos: nenhum pesticida sintético é usado durante a produção de produtos orgânicos, fazendo com que os alimentos sejam mais saudáveis;

§  Melhoria da vida no campo: a agricultura orgânica contribui na melhoria das condições de vida socioeconômicas das comunidades. Cultivos orgânicos necessitam de mais mão de obra, gerando emprego e renda;

§  Conservação do solo: a produção orgânica visa à conservação da fertilidade do solo, com a prática de rotação de culturas e adubação verde;

§  Redução de poluição ambiental: a agricultura convencional pode poluir o solo de cultivo com produtos químicos que são prejudiciais. Além disso, os agrotóxicos e fertilizantes químicos são levados pela água da chuva e ventos para regiões vizinhas, podendo prejudicar tanto o local de utilização quanto locais distantes também;

§   Promoção da biodiversidade: a conservação do solo e a ausência de agrotóxicos auxiliam na preservação de pássaros, insetos e outros animais da região.

Recomendações a partir da pesquisa

Então a partir da elaboração do diagnóstico possibilitou apontar as recomendações referentes aos pontos críticos, tais como:  orientações e esclarecimentos sobre o uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), pausas e períodos de descanso. “Destacando-se necessidade de disponibilização de um serviço especial de coleta e valoração dos resíduos plásticos, como exemplo, a venda dos resíduos plásticos para empresas que produzem mangueiras e canos”, conclui Aline.