Professor palestra sobre segurança para complexos portuários em Recife

Os serviços de fiscalização, cumprimento das normas e legislação, dentre outras atividades relacionadas à segurança, também destinados aos ancoradouros, foram debatidos durante o I Seminário de Segurança Pública Portuária, em Recife (PE). Na ocasião, o professor Giovani de Paula, professor e coordenador do programa de pós-graduação em Segurança, à distância da Unisul, ministrou a palestra: Segurança Pública e Privada: pressupostos na atuação da segurança portuária.

Embora aberto à sociedade, o público alvo do Seminário foram integrantes das Forças Armadas e das Polícias, gestores de Segurança, empresários da segurança privada e de empresas atuantes nos complexos portuários, como o de Suape. O evento foi aberto à sociedade, mas tendo como público alvo: empresários, integrantes das Forças Armadas e das Polícias, Gestores de Segurança, empresários do ramo da segurança privada e empresa que atuam em Complexos Portuários, como o de Suape.

Segundo o organizador do evento, Cleano Lima, especialista em Segurança Privada, a partir desse encontro foi possível reconhecer a importância da atuação na segurança portuária por empresários e pelas autoridades. “O evento mostrou, de maneira clara, a importância das autoridades públicas intervenientes brasileiras, que exercem atividades de maneira harmônica na área portuária, a nível local, nacional e internacional. O seminário apresentou uma serie de diagnósticos que servem de alerta para os empresários e gestores do setor público e privado sobre a relevância da segurança pública portuária com padrão internacional reconhecido, destacando-se a questão da segurança voltada para os navios de longo curso, cuja regulamentação é permeada pela Organização Marítima Internacional – IMO, da qual o Brasil é membro desde 1963,” explicou.

Um dos participantes e palestrantes, Jefferson Santos, Coronel da Reserva da Força Aérea Brasileira e Mestre em Segurança e Defesa, o seminário permitiu que as empresas vislumbrassem o desenvolvimento para atuar em diferentes níveis. “Em função das empresas representadas poderem, potencialmente, atender ao Porto do SUAPE – PE, o seminário contribuiu para ampliar o portfólio de competências dos ouvintes em Segurança Portuária, ampliando a projeção daquelas empresas ao nível de excelência em atendimento internacional”, disse.

Já o professor Giovani, destacou a complexidade do tema por várias questões que envolvem os sistemas de segurança (público e privado) e a exposição à situações de risco. “Os portos  e terminais brasileiros são instalações sensíveis e que requerem elevado nível de alerta por parte do sistemas de segurança pública e privada que atuam nesses espaços. Estes locais ensejam a atuação de diferentes órgãos governamentais em todos os níveis, entidades privadas e a sociedade civil. Além dos riscos inerentes à atividade portuária como a questão dos processos e procedimentos com o perigo eminente de incêndios e explosões no caso de erros de planejamento ou operacionais. Também dos riscos do manuseio das cargas perigosas, da necessidade permanente da prevenção de incidentes e acidentes de trabalho que soma-se à questão da ordem e da segurança pública, em que se faz necessário a constante vigilância com relação ao narcotráfico, ao tráfico de cargas, ao contrabando e descaminho, ao controle da entrada e saída de armas ilegais do país, a repressão ao roubo/furto de cargas, dentre outras situações problemáticas que demandam a necessidade permanente de vigilância nos portos, terminais e vias navegáveis do país e também de seu entorno”, avaliou.

As apresentações e as trocas de experiências entre os participantes reafirmaram a necessidade de parcerias entre as instituições que atuam na área de segurança pública portuária, para ampliar as possibilidades de intervenção e despertar à necessidade permanente de atualização sobre esta temática tão importante.

Participantes do I Seminário de Segurança Pública Portuária

 

COMPARTILHAR