Quando os pais e alunos podem contar com uma professora especial

Ser professor é uma escolha de vida! Essa é a mensagem que nos passa a coordenadora pedagógica de Educação Inclusiva do Colégio Dehon, Márcia Meurer.

Natural de Tubarão, ainda no curso de Letras, em 1986, a professora Marcia Meurer substituiu professores no Dehon e no ensino superior. Em março de 1987 foi convidada para lecionar língua portuguesa no ciclo básico. Em 1997 nasce a filha Júlia, diagnosticada com deficiência intelectual que compromete a compreensão, Márcia já lecionava por dez anos. “Chegou uma filha especial e mudou minha história. A partir disso focava na língua portuguesa, mas buscando atender minha filha”, relata ela.

Márcia completa que as mães se preparam para a chegada da maternidade com manuais prontos, mas ela precisou adaptar o próprio manual, flexibilizando o trabalho de mãe. Viu-se professora de língua portuguesa, em situação de uma mãe especial, com uma filha especial. “Investi muito na língua portuguesa para que ela desenvolvesse bem a oralidade. Hoje ela fala muito bem, compreende bem, interpreta textos. Não lê e escreve na sua totalidade, mas foi um investimento que deu muito certo”, conta a mãe.

A experiência de ser mãe especial, fez com que se aperfeiçoasse em uma maternidade diferente. Estudou o assunto, fez cursos, se especializou em psicopedagogia, e se fortaleceu para poder orientar outras mães. Chegando a orientar médicos que atendiam famílias que recebiam filhos na mesma situação. Lá ia ela fazer uma visita, conversar com os pais especiais. “Também percebi que na escola precisava ser diferente e passei a orientar a escola, e aprendendo mais, compartilhando o que aprendia, até que assumi no colégio algumas horas para ajudar os professores no manejo, adaptação de materiais e avaliações, para os alunos que chegavam em situação especial”, relata.

Graduada em Letras, especialista em Literatura Brasileira, Ensino Superior e Psicopedagogia, foi convidada em 2013 para assumir integralmente a coordenação de Educação Inclusiva no Colégio Dehon. A Educação Inclusiva atende o aluno integrando-o no conjunto e vendo quais as habilidades dele.

A primeira experiência com a língua portuguesa oportunizou o ensino da filha, e ser mãe de uma menina especial só aumentou a formação dela. Quando os pais especiais chegam ao Colégio Dehon sentem que há essa diferença, há uma mãe especial para abrir a porta e passar tranquilidade. A professora/mãe especial recebe desde o primeiro contato o aluno, e os pais. A partir da matricula que demanda atendimento especial, se identifica uma necessidade educacional especial, se percebe qual a sala que o aluno será incluso, os livros, os conteúdos que serão adaptados, entre outros detalhes que fazem com que o aluno se sinta incluído. “Ser professor é transformar a vida das pessoas, ou em determinada disciplina ou ensinando para a vida. As crianças são nossos alunos hoje, mas serão filhos sempre, o que se puder orientar com a base de conteúdo para a formação será para a vida”, reforça a professora.

Aprendeu para poder ensinar. Sendo professora, Márcia conseguiu mudar a vida de muitas pessoas. Ao todo, são trinta anos dedicados ao ensino. “Se eu não fosse professora, eu seria professora”, conclui ela.

COMPARTILHAR