Qual é o papel do historiador?

Por: Giancarlo Moser, professor do curso de História na Unisul

Todos nós temos alguma conexão pessoal com o passado, independente da investigação histórica e buscamos nos entender olhando de onde viemos. Então, qual é o papel do historiador nisso tudo?

No Brasil, os estudiosos do passado da humanidade têm espaço cativo no calendário há oito anos, quando foi instituído o Dia do Historiador. Comemorada em 19 de agosto, a data foi instituída por meio da Lei nº 12.130/2009, em homenagem ao nascimento do diplomata e escritor pernambucano Joaquim Nabuco (1849-1910). Na prática, “Historiador” tornou-se uma ocupação profissional no final do século XIX, à medida que as universidades de pesquisa surgiam na Alemanha e em outros lugares.

Historiador é um profissional das Ciências Humanas com especialização na disciplina de História. Seu principal objetivo é pesquisar, estudar, analisar, interpretar e documentar fatos da história humana passada. Como na maioria dos ramos das Ciências Humanas, existem várias subcategorias nas quais os historiadores se dividem. A divisão mais comum é se especializar nos aspectos particulares ou períodos da história em que eles se concentram. Um historiador pode analisar e pesquisar a história de um ponto de vista específico, como político, artístico, social, étnico ou econômico. Por outro lado, eles podem se concentrar em eras ou períodos específicos, como eras pré-colombianas, medievais ou clássicas.

Os historiadores seguem um método de investigação que se baseia intensamente em fatos e registros históricos deixados por colegas anteriores. Eles procuram evidências sólidas e fontes confiáveis, às vezes em contato com Arqueólogos, Geógrafos, Filósofos etc, para explicar como e por que as coisas aconteceram e como os eventos passados ​​moldaram a sociedade atual.

Uma das principais características de um bom historiador é sua objetividade. É normal que as pessoas contem e interpretem a história do seu próprio ponto de vista. No entanto, os historiadores devem manter um alto nível de objetividade e imparcialidade e se referir aos fatos evitando opiniões políticas ou qualquer forma de preconceito.

Os historiadores estão preocupados com a narrativa contínua e metódica e com a pesquisa de eventos passados ​​relacionados à raça humana; bem como o estudo de toda a história no tempo ou somente momentos e fenômenos específicos no tempo. Alguns historiadores são reconhecidos mundialmente por suas publicações e pesquisas que impactam a nossa visão do mundo.

Alguns dos ensinamentos que os Historiadores proporcionam:

1. A história nos ajuda a desenvolver uma melhor compreensão do mundo.

Você não pode construir uma estrutura na qual basear sua vida sem entender como as coisas funcionam no mundo. A história nos mostra um quadro detalhado de como a sociedade, a tecnologia e os governos funcionavam há muito tempo, para que possamos entender melhor como isso funciona agora. Também nos ajuda a determinar como abordar o futuro, pois nos permite aprender com nossos erros (e triunfos) passados ​​enquanto sociedade.

2. A história nos ajuda a nos compreender nossa própria vida e o que nos cerca.

Para entender quem você é, é preciso desenvolver um senso de identidade. Uma grande parte disso é aprender onde você se encaixa na História de seu país ou na comunidade global. A História conta os caminhos de como sua nação, cidade ou comunidade se tornaram o que são atualmente, apresentando a você de onde seus ancestrais vieram e quem eles eram. E o mais importante de tudo, ela permite que você identifique (e aprecie) os legados que pode ter herdado deles.

3. A história nos ajuda a aprender a compreender outras pessoas.

A história não é apenas uma introdução essencial ao seu próprio país, herança étnica e ancestralidade. É também uma ferramenta valiosa quando se trata de compreender aqueles que são diferentes de nós. Livros de história global, nacional e regional nos ajudam a entender como outras culturas afetam a nossa.

Eles nos encorajam a desenvolver um maior apreço pelas influências multiculturais dentro de nossas próprias comunidades – exatamente por isso que todos deveriam estudar a história afro-abrasileira, a história dos nativos pré-cabral, dos imigrantes europeus e asiáticos e assim por diante, independentemente de sua própria formação cultural.

4. A história ensina uma compreensão prática da mudança.

Nem é preciso dizer que mudança pode ser um conceito difícil de entender. Cada um de nós tem uma experiência diferente com o resto do mundo – uma experiência moldada por normas sociais, diferenças culturais, experiências pessoais e muito mais. Sabemos quando nós, como indivíduos, ansiamos por mudanças e por quê. A História nos ajuda a entender melhor como, quando e por que a mudança ocorre (ou deve ser buscada) em uma escala maior.

 5. A história nos dá as ferramentas de que precisamos para sermos cidadãos mais conscientes e sensatos.

Bons cidadãos são os cidadãos bem informados e ninguém pode se considerar um cidadão bem informado sem um conhecimento prático da história. Este é o caso, quer estejamos falando sobre nosso papel em nossa comunidade ou em relação a nossa nação como um todo. A história nos auxilia a nos tornarmos melhores eleitores, membros mais éticos de qualquer tipo de sociedade e ajuda a nos colocar em posição de informar melhor os outros também.

 6. A história nos torna melhores tomadores de decisão.

“Aqueles que não aprendem a história estão condenados a repeti-la.” Essas palavras foram ditas por Edmund Burke, em 1770, e ainda são muito relevantes hoje em dia, por serem verdadeiras. A história nos dá a oportunidade de aprender com os erros do passado. Isso nos ajuda a entender as muitas razões pelas quais as pessoas podem se comportar da maneira que agem. Como resultado, isso nos ajuda a ser mais compassivos como pessoas e mais imparciais como tomadores de decisão. Nosso sistema judicial é um exemplo perfeito desse conceito em ação.

7. A história nos ajuda a desenvolver um novo nível de apreciação pelo mundo.

A história é mais do que apenas o registro vivo de nações, líderes e guerras. É também a nossa história. Está repleto de narrativas de como alguém defendeu aquilo em que acreditava, morreu por amor ou trabalhou muito para realizar seus sonhos. Todas essas coisas são conceitos com os quais podemos nos relacionar.

Enfim, a História, e seus operadores – os Historiadores – nos colocam em sintonia com o mundo, seja em nossa vizinhança ou no âmbito global. Dá-nos uma visão mais ampla e embasada de como podemos entender, agir e interagir em um mundo sempre em mudança, nos permitindo ser mais tolerantes, flexíveis e informados, nos livrando da tirania do pensamento ideológico, cavando masmorras aos vícios e erguendo templos à virtude.

Giancarlo Moser, é professor do curso de História na Unisul.
Doutor em Ciências Sociais e também, em Patrimônio Cultural, Mestre em Patrimônio Cultural e Graduado, Graduação em História. Atua principalmente nos seguintes temas: História Regional, Educação Superior, Patrimônio e Turismo e Docência no Ensino Superior.

COMPARTILHAR