Shantala na Unisul é iniciativa de alunas de Fisioterapia

Shantala é um tipo de massagem milenar descoberta no sul da Índia, a sequência é tradicionalmente passada de mãe para filha durante a gravidez. Chegou no ocidente a partir de um obstetra francês que em uma viagem ao país notou que a relação entre mãe e bebê se fortalecia na prática. Depois foram descobertos outros benefícios que ajudaram na disseminação da massagem no ocidente.

Ela é uma sequência que pode ser praticada nos bebês a partir do primeiro mês de vida. Durante este período inicial são feitos apenas alguns toques e deslizamentos de no máximo quinze minutos para habituar o recém nascido aos movimentos. Após este mês tem inicio uma sequência, primeiramente frontal (rosto, barriga, braços, pernas). Também é composta por movimentos nas costas e alongamentos que fortalecem a musculatura da criança.

Foram iniciadas aulas de Shantala na Unisul graças a uma iniciativa das alunas Ana Kovalski e Kátia Geniak, da décima fase do curso de Fisioterapia na universidade. Determinadas a exercer esse papel no mercado de trabalho após o término do curso, elas escolheram esse como o tema do núcleo orientado. O objetivo das alunas com essa iniciativa é a escrita de um artigo sobre relatos, expectativas e resultados que a massagem causou. Para isso os bebês foram avaliados antes e depois do início das massagens, o que dará um maior embasamento para a pesquisa.

Nas aulas, cada grupo passou por uma seção de três encontros. No primeiro encontro se fez a apresentação do método e seus benefícios, além do encontro de todas as mães. Já no segundo, teve início o contato entre mãe e bebê. Já, terceiro, foi finalizada a passagem de todo o método e as alunas entregam a cada mãe uma apostila para que elas possam consultar caso ocorra qualquer dúvida. “Nosso principal objetivo é ensinar a Shantala para que as mães possam continuar em casa com o método”, explica Ana Kovalski. Há também uma interação entre as mães, que possuem um grupo nas redes sociais. A partir dele, elas relatam suas experiências e seus conhecimentos adquiridos umas com as outras.

Fernanda Schutz, descobriu o projeto da Unisul por uma amiga que participou do primeiro grupo e que obteve grande melhora. Então decidiu participar com seu primeiro filho Henrico, que irá fazer cinco meses no dia 7/10. “O pouco que eu estou fazendo já está ajudando muito. Eu fazia em casa, mas conhecendo melhor as técnicas posso fazer mais por ele”, comenta Fernanda.

Os principais objetivos da massagem são o relaxamento e a estimulação da musculatura. Essa ações também estimulam o desenvolvimento neuropsíquico da criança. Previne cólicas e também pode ser realizada depois das crises para evitar dores mais fortes. Com o bebê mais relaxado, o sono também melhora e a criança se torna mais calma. “São muitos os benefícios, mas o maior deles é o momento do afeto entre mãe e bebê. Ou quem está fazendo a massagem nele, que pode ser o pai, o irmão ou todo mundo que tiver a sequência e estiver disponível”, finaliza Ana.

Texto: Bruna Nicoletti

COMPARTILHAR