Solidariedade e resistência guarani

Por: Leonardo Santos
Jornalista Instituto Homo Serviens

No mês de abril celebra-se o Dia do Índio, o povo originário que vive em constante luta tem no dia 19 um reconhecimento que para alguns é apenas simbólico.

O constante exercício de resgate e propagação da cultura originária é diário, porém, abril é o mês de vários eventos. Nesta segunda semana de abril, o povo guarani da Terra Indígena Morro dos Cavalos está realizando a 14ª Semana Cultura Indígena com palestras, apresentações culturais, esportes e mantras, na Escola indígena Itaty do Morro dos Cavalos e na Aldeia Yakã Porã, na Enseada de Brito.

A realização do evento é uma união de esforços e solidariedade, como, por exemplo, com o apoio Orionópolis Catarinense que desde sua fundação na década de 90 com o slogan “na força do amor”, abraçou, dentre tantas, também a causa indígena.

Professor Indígena João Batista Gonçalves, Coordenador Orionópolis Gabriel Schuch e
Téofilo Celestino Gonçalves, Cacique da Aldeia Itaty.

Em todo mês de abril a Escola Indígena Itaty e as aldeias guarani em geral de Santa Catarina, acolhem em suas aldeias para que todos que desejarem fazer sua visitação. Ela se torna uma grande sala de aula para estudantes de todo nível, do fundamental até pós-doutorado, como ocorre com estudantes da Unisul, nos últimos 22 anos.

Junto ao Instituto Homo Serviens, ao Revitalizando Culturas, ao Diretório Central de Estudantes (DCE) e Curso de Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) da Unisul, representados na pessoa do Professor Dr. Jaci Rocha Gonçalves e os Padres José Manoel dos Santos, Milton Quintino de Lima e o coordenador Gabriel Schuch ofereceram cerca de 300kg de alimentos para ajudar na alimentação da Semana Cultural Indígena do Morro dos Cavalos. A união dessas várias entidades, possibilita a acolhida de escolas e grupos da comunidade para conviver e aprender a cultura Guarani Mbyá.

A equipe Revitalizando Culturas auxilia na realização do evento com a divulgação e mediação de escolas junto a escolas não indígenas que desejam realizar atividades nas aldeias, de acordo com as lideranças guarani.

Alunos não indígenas conhecem e adquirem peças arte indígena feitas por artesãos e artesãs guarani.
Foto: Facebook Conexão Itaty

A Unisul também integra este grupo, da sua parte, credencia todo o trabalho dando apoio burocrático acadêmico para que os conhecimentos ali ministrados sejam devidamente reconhecidos pelo sistema educacional, conforme as orientações assumidas junto à ONU pelo Brasil, conforme a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas de 2007.

O evento traz diversos momentos de resgate da cultura indígena e interação com os não-índios, são momentos de rever amigos e recrutar apoiadores nas constantes lutas diárias deste povo originário. Repleto de mantras, o evento próximo ao Dia do Índio deve reenergizar os povos indígenas, que do dia 24 a 26 de abril de 2019 estarão em Brasília para uma série de mobilizações durante o 16º Acampamento Terra Livre.

A Semana Cultural Indígena e outros eventos realizados pelo povo originário são divulgados e registrados por eles na página Conexão Itaty. Encante-se com as apresentações culturais, seus mantras e suas sabedorias multimilenares.