Uso de tecnologias gera economia no processo de concepção na moda

Para inovar as formas de aplicar o conhecimento principalmente no que se refere ao processo de concepção a partir do uso das tecnologias, o curso de Design de Moda, campus Grande Florianópolis, acaba de firmar parceria com a Molde.Me e Coleção.Moda, duas startups reconhecidas no mercado.

A concepção é o momento de desenvolvimento na indústria têxtil e demanda muita dedicação. São horas e horas dedicadas ao trabalho justamente para que a marca se destaque no mercado e assim como em outras áreas, a moda também vivencia transformações.

Molde.Me

A Molde.me é uma plataforma web onde usuários podem criar moldes de forma simplificada. Na modelagem manual, entre criação e o produto final, são empregadas cerca de oito horas de trabalho, com o software tudo isso leva menos de 60 minutos, ferramenta inteligente especializada na otimização dos trabalhos e que cabe em qualquer orçamento.

De acordo com a CEO, Tyara Nascimento, a proposta da parceria surgiu em uma conversa com a coordenadora do curso de Moda, Adriana Canto.  “Em uma conversa a Adriana me contou da necessidade em ensinar modelagem digital na Unisul. Como estavam à procura de um software de modelagem, encontrou a possibilidade na Molde.Me porque nosso preço é acessível e o aluno pode usar no curso e mesmo quando sair da faculdade, continuará usando a plataforma”, explica Tyara.

Coleção.Moda

A Coleção.Moda trabalha com dois pilares: o primeiro é um conjunto de soluções inteligentes (PLM), que estuda todo o ciclo de vida do piloto criado e envolve desde de fichas técnicas automatizadas aos mapas de coleções interativos. Além disso, dispõe de controle dos setores da empresa, aqueles focados no protótipo. O outro pilar, é a inteligência artificial chamada Donna, utilizada para entregar aos estilistas as tendências apontadas nos desfiles. Essa é a primeira startup brasileira a desenvolver uma ferramenta totalmente voltada para o gerenciamento de coleções e que inclui um robô para prever tendências.

Com Thiele Biff, fundadora da Coleção.Moda, a história foi parecida. “Nós participamos do projeto estufa e lá trocamos algumas ideias, falamos muito do quesito UX, que ao invés das plataformas mais engessadas, o que é mais comum no mercado, somos focados em deixar a plataforma interativa para atrair o estilista”, pontua Thiele.

Economia por meio destas tecnologias

Um dos grandes diferenciais no uso de tecnologias está na economia. No caso da Mode.me, por exemplo, em um trabalho realizado de forma manual, o desperdício de material corresponde a cerca de 60% do valor da peça e pode chegar a 20%, coisa que não acontece no uso deste aparato.

Já na Coleção.Moda, a plataforma é atrativa em contrapartida do que é oferecido usualmente, além das facilidades tão conhecidas do uso de um PLM, como aumento de proatividade e aprimoramento de competência no atendimento e de demandas.

COMPARTILHAR