Uma professora que aposta na constante atualização para socializar e construir novos  conhecimentos

A carreira acadêmica é longa e, muitas vezes, o professor ministra certas disciplinas ou unidades de aprendizagem por muitos anos. Neste cenário, as atividades de pesquisa e de extensão, na perspectiva das metodologias ativas, se fazem necessárias para contribuir na atualização da sala de aula. Na semana alusiva ao dia do Professor, contaremos um pouco sobre a carreira da professora Ana Regina Dutra, uma das profissionais de educação que não parou no tempo e vive em busca de novos conhecimentos.

Desde que iniciou sua carreira na docência, como professora de matemática no ensino médio, Ana Regina, sempre buscou maneiras de despertar a atenção dos estudantes para a importância da matemática no dia a dia do planeta. “Comecei a minha experiência ensinando a matemática, conteúdos que os estudantes, muitas vezes, não gostam e apresentam dificuldades de entendimento.  Então sempre busquei ensinar de forma mais atrativa, dinâmica e muito ligada ao contexto dos estudantes. Depois fiz meu mestrado e doutorado na Engenharia de Produção e vim lecionar na Unisul”, conta.

Na Unisul há mais de 17 anos, a professora atua em cursos nas modalidades presencial e a distância, pós-graduação e no mestrado em Ciências Ambientais. A cada semestre recebe novos estudantes e salienta que cada um tem uma história e, por isso, procura adequar os conteúdos e as atividades formativas à turma, tornado desta, uma relação de troca. Mesmo lecionando as mesmas disciplinas/unidades de aprendizagem por muito tempo, ela diz que “é preciso dinamizar a sala de aula, envolver sim as histórias e as experiências dos estudantes. Boa parte dos estudantes trabalham, já tem uma certa experiência com empresas, então trago isso para a sala de aula. Para mim é um trabalho colaborativo, eles aprendem e eu também com as histórias deles, por isso é necessário que as disciplinas/unidades de aprendizagens sejam atualizadas”, afirma Ana Regina.

Profa. Ana também destaca a importância do professor estar atento às tecnologias, e em suas aulas procura inseri-las nas atividades formativas. Ela diz que “faz uso dos aplicativos em cálculos quando necessário, produzimos vídeos e fóruns, ou seja, diferentes objetos de aprendizagem. Também convido os profissionais da biblioteca da Unisul a ensinar os estudantes como explorar as bases de dados, para que os estudantes possam construir seus referenciais teóricos mais atualizados, a partir de livros e artigos científicos importantes. A tecnologia deve estar à serviço do processo do ensino-aprendizagem. O estudante precisa pensar e refletir sobre aquilo que ele busca na internet, explica a professora.

O papel do professor é também de promover o protagonismo do estudante, para que este seja um cidadão reflexivo, crítico e que coloque a mão na massa, que aprenda, é o saber e o saber fazer de forma articulada. Por isso, a Profa. Ana Regina estimula seus alunos a identificarem nos próprios cursos as funções que futuramente poderão desempenhar.  “Quero que os estudantes percebam no seu curso espaços futuros para atuarem, mostrar a sua capacidade, suas habilidades, serem criativos, mas também que sejam felizes com suas escolhas profissionais. Essa é a minha atribuição no sentido de identificar, de poder mostrar caminhos dentro dessas diferentes profissões, que podem transformar a vida das pessoas também”, reflete.

Além da sala de aula, Ana Regina é envolvida com a pesquisa e participa do Projeto Ciência Móvel, que percorre as escolas do ensino básico da região, levando atividades formativas com conteúdos de matemática, física e química, construídas a partir da realidade dos estudantes e de temáticas envolvendo o contexto do meio ambiente. “No ciência móvel, levamos os estudantes dos cursos das engenharias para as escolas, eles nos ajudam a mostrar aos estudantes do ensino fundamental e médio que a matemática, a física e a química não são disciplinas tão difíceis”.

A partir de sua ligação com a pesquisa, a professora acredita nas possibilidades que a universidade oferece aos estudantes, proporcionando diferentes saberes e experiências. “A Unisul tem um portfólio de possibilidades. A pesquisa possibilita que o estudante desenvolva habilidades a partir dos processos investigativos, é algo diferente, mas também, ele pode participar de um projeto de extensão com a comunidade, de poder dialogar, de conhecer a realidade do entorno da universidade, transformar a vida das pessoas. Salienta também da importância de ser monitor, de participar de eventos e de estágios”.

COMPARTILHAR