Unisul 55 anos: Reitor reafirma a missão de transformar vidas

O salão nobre da Unisul foi tomado pela emoção com as homenagens às pessoas que tornaram ainda mais exitosa a história da universidade que completou 55 anos nessa segunda-feira 25.

As professoras Amaline Boulus Issa Mussi e Maria Filomena Souza Espíndola, foram agraciadas com a comenda Doutora Honoris Causa. Receberam homenagens como colaboradores mais antigos da Unisul, Leolina Duarte, os professores Silvio Hickel do Prado e Moacir Heerdt, assim como Geraldo Luiz Rocha Medeiros, representando a primeira turma do curso de Ciências Econômicas.  

Os colaboradores, conselho universitário, autoridades, amigos e familiares também estavam presentes e partilhavam de sorrisos ao ver nomes tão importantes para a Universidade serem reconhecidos. Todos saíram motivados ao saber que o próximo cinquentenário vislumbra seguir a missão da Unisul de transformar vidas, ampliar as oportunidades e aproximar-se ainda mais das comunidades.

O reitor da Unisul, professor Mauri Luiz Heerdt, demonstrou sua satisfação ao ressaltar as grandes homenageadas da noite que marcaram não só a sua trajetória como a de tanta gente. “É sempre uma emoção muito grande falar da Unisul para quem estuda, estudou, para quem trabalha aqui dentro há tantos anos. Estar aqui celebrando 55 anos de vida é uma honra muito grande e ainda mais quando homenageamos de modo especial duas pessoas tão especiais na história da Unisul, as professoras Amaline e Mariazinha. Então é um motivo de muito orgulho, de muita emoção, mas também de esperança porque uma instituição que celebra 55 anos, também tem as condições necessárias pela sua experiência, pela sua história de projetar um novo período e o nosso novo período promete sim ser muito promissor para continuarmos transformando vidas de tantas pessoas. Essa é a nossa missão”.

Já o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, relembrou sua chegada ao mudar-se de sua cidade natal justamente para estudar na Unisul. Em Tubarão construiu sua carreira estudantil e profissional, cidade que considera acolhedora e que atribui suas oportunidades. Para o prefeito, passados o primeiro cinquentenário é preciso repensar os próximos 50 anos, pois a realidade do ensino superior mudou bastante no Brasil nos últimos anos. “Agora, cinco anos depois de celebrar os primeiros 50 anos, doze dias depois de assinar a parceria com o grupo Ânima, que vai nos ajudar a pensar, a planejar e a implementar os próximos anos, a Unisul passa a atuar ainda mais com vigor, fazendo mais pelo desenvolvimento da nossa cidade, da nossa região e de Santa Catarina. Vida longa à Unisul nesse novo modelo, nessa nova parceria e que vai torná-la ainda mais forte”, celebrou.

A professora Mariazinha, assim carinhosamente conhecida por todos os cantos da instituição, diz que inúmeras vezes se questionou sobre ser merecedora de tal reconhecimento. “Até que ponto a gente merece? A gente se pergunta muito e começa a fazer uma reflexão da vida do magistério. Foram 50 anos de magistério, mas se tivesse que começar, começaria tudo de novo. Na Unisul fui aluna do primeiro curso de Letras e a Unisul é a minha segunda casa pois trabalhei aqui por 35 anos e isso aqui para mim é como se fosse a minha casa”.

Para a professora Amaline, a felicidade é imensa e a responsabilidade também. “Eu inclusive considero e sempre considerei que a docência é um privilégio pelo cenário que me estavam assegurados. São cenários humanos das grandes dinâmicas sociais. O professor tem esse sentido de estar e poder sinalizar e, sobretudo receber os sinais”.

Agora, a Universidade caminha rumo à reinvenção e preparação para a gestão compartilhada e posteriormente, a uma nova mantenedora, a Ânima Educação e por isso é preciso compreender o que simboliza esse novo momento. “É preciso existir e para existir hoje pressupõe uma forma qualificada de ser e tenho a convicção de significa a possibilidade de sermos melhores, da recuperação do nosso gigantismo e da nossa força. O que fez, faz e fará a Unisul não são os tijolos, são as pessoas porque a Unisul é maior do que ela mesma e continuaremos transformando vidas”, assegurou Mauri.

Leia também: Unisul e a performance de crescimento da região Sul

COMPARTILHAR