Unisul estimula população a cultivar e consumir plantas medicinais

O projeto FitoSUS, orienta a população sobre o plantio adequado e sustentável das plantas medicinais conhecidas além do preparo de remédios. O trabalho é realizado na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro São Sebastião e no CAPS-Álcool e outras Drogas, no Centro de Palhoça.

Projeto FitoSUS

O FitoSUS integra o projeto de extensão da Unisul desde 2018 sob a coordenação da professora Ana Paula Piovesan, do curso de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCS), com a participação das professoras Márcia Regina Kretzer, do curso de Medicina e Aline Emer, da Naturologia.

Nesse primeiro ano de FitoSUS já envolveu 44 alunos e a professora Márcia conta que no CAPS o plantio de ervas medicinais é inserido para os usuários que tem um projeto de hortoterapia. “Iniciamos um trabalho inédito, que não identificamos em outras experiências publicadas, com o uso de plantas ansiolíticas e de controle da insônia, um dos maiores problemas de quem faz uso abusivo de álcool e drogas”, salienta.

A professora também explica como o projeto é abordado de maneira diferente na UBS do bairro São Sebastião, que organiza um bingo para 100 idosos da comunidade e os alunos aproveitam o espaço para sanar dúvidas e necessidades dos pacientes. “Na UBS nós desenvolvemos todo um trabalho de educação para população, fazemos grupos específicos de orientação para cada tipo de planta e suas especialidades, como por exemplo, as que são destinadas a saúde da mulher, ou as que têm propriedades tranquilizantes, ansiolíticos. Dependendo da necessidade que a própria unidade levanta, para os nossos alunos”.

Avanços do FitoSUS

Na medida em que o FitoSUS avançou, também recebeu investimentos para as pesquisas e o desenvolvimento além de se tornar tema de produções científicas de pós-graduações orientadas pelas professoras. Alguns trabalhos, inclusive, já foram apresentados em eventos nacionais, e recentemente, no Congresso Internacional de Saúde e Bem-Estar, em Portugal.