Unisul leva criatividade e empreendedorismo às escolas

O projeto de extensão Futuro Cidadão Empreendedor da Unisul vai fazer a diferença nas comunidades ao fomentar a criatividade, o empreendedorismo e também proporcionar os conhecimentos de economia doméstica na Escola Lauro Muller, no centro de Florianópolis.

Atualmente 12 estudantes dos cursos de Administração, Relações Internacionais e Direito integram o Projeto que tem como principal objetivo dar voz à comunidade escolar por meio do ensino das técnicas de empreendedorismo e economia doméstica, explica a coordenadora Rejane Roecker.

“Essa proposta é para que os alunos possam não só compreendam, mas também apliquem os conhecimentos de administração no próprio cotidiano a fim de resgatar os elos de convivência e inserção social”.

O Futuro Cidadão Empreendedor pretende atender em torno de 150 alunos do 8° ao 9° ano do ensino fundamental e será desenvolvido em cinco etapas. No primeiro momento, os alunos participantes estão envolvidos com leituras, debates e workshops com abordagens nas práticas de ensino de criatividade e empreendedorismo. Em um segundo momento, serão orientados para a elaboração de oficinas, atividades práticas de vivência sobre os temas principais que permitirão que os alunos experimentem os métodos que compreendem as ideias de negócios e formas de estruturá-los.

Na sequência, o Projeto vai orientar os alunos na escolha de um conteúdo referente ao empreendedorismo ou economia doméstica. “Para que sejam objeto de exposição para grandes grupos na escola. O que leva ao quarto passo, o acadêmico aprofundar seus conhecimentos acerca de tema. Para tal intento, o projeto disponibiliza-se a orientar os acadêmicos a elaborar materiais informativos, juntamente de metodologias ativas num ambiente virtual, para que o público-alvo possa acessar tais conteúdos e interagir de forma dinâmica, aprofundando, multiplicando e democratizando as informações”, contextualiza a professora Rejane.

Para finalizar, os estudantes da Unisul, alunos, pais e professores se reunirão em uma conversa para colher os resultados do projeto.

“Esta etapa compreende desde o seu funcionamento à operacionalização na prática como os alunos imaginavam. Esse é o ponto relevante do projeto pela forma que entrará em contato com a comunidade. É a importância da extensão como um todo, a proximidade da universidade e dos alunos com a realidade e as problemáticas da comunidade que atua”, conclui.

O projeto é coordenado pela professora Rejane Roecker e conta com as professoras: Kátia Macedo e Fátima Mustafa como colaboradoras e o Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) como parceiro, representado pelo professor Sandro Soares.