Universidade valoriza costumes dos povos indígenas

A preservação de povos originários e suas culturas é um dos principais desafios dos tempos atuais. Em meio a um Brasil de extremos, a pauta indígena muitas vezes cai no esquecimento.

Há 22 anos, o grupo Revitalizando Culturas compõe o núcleo de pesquisa da Unisul e promove uma série de ações reparativas nas aldeias em Santa Catarina, com grande destaque à comunidade na região do Morro dos Cavalos, na Grande Florianópolis.

Uma destas ações foi a 14ª Semana Cultural EIEF Itaty, que aconteceu no Morro dos Cavalos do dia 8 ao dia 13/04, onde os membros dessa comunidade puderam expor seus trabalhos e realizar uma troca intercultural com visitantes. O evento que acontece com o apoio da Unisul, tratou de temas pertinentes como a conjuntura política indigenista e a supressão de direitos.

De acordo com Jaci Rocha Gonçalves, coordenador e professor, o Revitalizando Culturas já passou por várias fases e processos, mas sempre manteve a essência. O projeto baseia sua filosofia de atuação em três pilares básicos.  ‘O empoderamento destas pessoas, sua autoafirmação como pessoa indígena e promovendo junto a elas o resgate dessa cultura. A autonomia, fazer com que essas pessoas entendam seus direitos e possam, sobretudo, ampliá-los. E o terceiro ponto é a auto sustentação, para que eles possam manter a forma cultural de manutenção que eles possuem a séculos, vivendo muito menos da carne e mais de raízes”, expõe.

Professor Jaci também destaca outro evento importantíssimo neste contexto, o Acampamento Terra Livre, de 24 a 26/04, em Brasília. “A principal luta destes povos nos dias atuais é o cumprimento do que foi determinado na constituição de 1988, a valorização e a preservação desses povos que já existiam muito antes das primeiras navegações”, conclui.

COMPARTILHAR